Lagoa

Câmara vai pedir beneficiações na via rápida da Lagoa

Câmara vai pedir beneficiações na via rápida da Lagoa

 

Paula Gouveia   Regional   12 de Nov de 2008, 10:39

Em reunião de câmara, foi deliberado por unanimidade enviar uma carta à Euroscut e ao Governo Regional a pedir uma avaliação das condições de circulação e segurança na inserção da estrada regional na via rápida da Lagoa
A autarquia de Ribeira Grande deliberou por unanimidade, em reunião de câmara, enviar à Euroscut e à Direcção Regional de Obras Públicas e Transportes Terrestres uma carta a solicitar a avaliação das condições de circulação e segurança na inserção da estrada regional da Ribeira Grande na via rápida Lagoa/Ponta Delgada e a eventual alteração do seu traçado.
Os automobilistas que circulam na velha estrada regional entre Ribeira Grande e Ponta Delgada perderam prioridade na inserção da estrada regional na via rápida. Foram retirados os separadores que permitiam aos condutores, vindos da costa norte, entrar directamente na via rápida sem correrem o risco de ser abalroados pelos automobilistas que circulam na via rápida, no sentido Lagoa/Ponta Delgada. E a sinalização a indicar perda de prioridade passou a obrigar a uma paragem antes do acesso à via onde a velocidade máxima é de 100 km/h.
Ora, a decisão da Euroscut, entidade à qual o Governo Regional concessionou as estradas sem custo para o utilizador (SCUT) de São Miguel, provocou algum incómodo nos utilizadores da antiga estrada regional e contribuiu para despertar antigas discordâncias políticas (PSD local defendia a beneficiação e alargamento da estrada regional da Ribeira Grande e o Governo Regional sustentava que a melhor solução era a via rápida entre Lagoa e Ribeira Grande - solução que acabou por avançar).
Para Ricardo Silva, presidente da autarquia da Ribeira Grande, é natural que se tenham retirado os separadores - “o que ali existia era uma solução provisória enquanto não houvesse a estrada nova”. Salvaguarda no entanto que  é preciso assegurar que não haverá formação de  filas de espera por parte de quem transita na estrada regional antiga.
O autarca recusa-se a usar essa alteração de trânsito como argumento para suportar a opinião da oposição de que a via rápida Lagoa-Ribeira Grande não foi a melhor opção estratégica para o concelho. Confrontado com as críticas de que a nova via rápida não aliviou o tráfego intenso da velha estrada regional, Ricardo Silva adianta que “o facto de estarem instaladas indústrias ao longo da estrada pode dar a ideia de um tráfego intenso. Penso que as pessoas que querem dirigir-se a Ponta Delgada com rapidez e segurança vão pela nova via e grande parte das pessoas já assim o faz”, sublinhou. Além de que a velha estrada regional “é uma via de serviço e na altura em que foi melhorada foi precisamente pensada nesses termos”, disse, recusando a crítica de que a nova via rápida da Lagoa estará a desviar investimento para o concelho vizinho.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.