BE e PCP reiteram oposição no final do debate do orçamento dos Açores

BE e PCP reiteram oposição no final do debate do orçamento dos Açores

 

Lusa / AO online   Regional   28 de Nov de 2013, 21:34

BE e PCP condenaram hoje a proposta de orçamento dos Açores para 2014, por este prosseguir as mesmas políticas que já provaram não resolver os problemas da região.

 

"Baixas qualificações, baixos rendimentos, desertificação, falta de coesão regional, desemprego elevado, pobreza, dependência externa, escassa diversificação da economia, baixo valor acrescentado eram alguns dos nossos principais problemas há 30 anos atrás e continuam a sê-lo", disse o coordenador do PCP nos Açores, Aníbal Pires, no encerramento do debate dos documentos orçamentais da região, no parlamento açoriano, na Horta.

Para o deputado comunista, o Plano e Orçamento dos Açores para o próximo ano representa "apenas" a "a continuação da mesma política que não conseguiu, ao fim de 39 anos de autonomia", resolver os "problemas estruturais" do arquipélago.

Também para a deputada e líder do BE nos Açores, Zuraida Soares, o Governo Regional socialista limita-se a propor "a continuação das políticas, das prioridades e das ações", que "em vez de abrandarem o caos social o têm aumentado".

"Todos sabemos que não está ao alcance do Governo Regional impedir esta tragédia da governação da República. Mas cabe ao Governo Regional ser aquilo a que se comprometeu, nas últimas eleições regionais: ser uma barreira às políticas nefastas do Governo da República. Infelizmente, o Governo Regional do Partido Socialista não tem sido uma 'barreira' mas, antes, uma 'rede' para as políticas do Governo PSD/CDS", afirmou.

Zuraida Soares argumentou com o aumento do desemprego nos Açores para uma das taxas mais altas do país e os indicadores que dão conta do crescimento da pobreza e de "uma autêntica emergência social" nas ilhas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.