Bancos alimentares recolheram 1.659 toneladas de alimentos


 

Lusa/Ao online   Nacional   3 de Dez de 2007, 08:14

Os 13 Bancos Alimentares contra a fome recolheram 1.659 toneladas de alimentos na campanha promovida no último fim-de-semana junto de 973 superfícies comerciais de vários pontos do país, ou seja um aumento de 10% face a 2006.
"O balanço é óptimo", disse Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome.

    "Apesar da crise, os portugueses são solidários", acrescentou.

    A campanha realizou-se em 973 superfícies comerciais das zonas de Abrantes, Algarve, Aveiro, Coimbra, Évora, Lisboa, Portalegre, porto, Setúbal, Cova da Beira, Leiria-Fátima, S. Miguel e Oeste.

    As pessoas puderam ajudar ao colocar num saco, oferecido pelos voluntários, produtos alimentícios não perecíveis como leite, óleo, conservas, azeite, açúcar, farinha, bolachas e massas.

    Na próxima semana, os géneros alimentícios vão ser distribuídos nas zonas de recolha a um total de 1.330 instituições de Solidariedade Social e a mais de 219 mil pessoas com carências alimentares comprovadas.

    Segundo Isabel Jonet, os bancos alimentares regem-se pelo princípio da proximidade ("recolha local, ajuda local") para promover uma "maior proximidade entre quem dá e quem recebe".

    "Esta proximidade ajuda as pessoas a sentirem uma responsabilização para com os pobres da sua região", disse Isabel Jonet.

    No entanto, quem quiser ajudar, ainda pode fazê-lo até ao próximo domingo, dia 09 de Dezembro, através da "ajuda vale", que consiste na aquisição de vales que representam produtos.

    Também nos postos incluídos na rede PayShop poderá ser efectuada uma contribuição, que será posteriormente convertida em leite.

    Nesta campanha tiveram um papel "fundamental" os 17.700 voluntários que "disponibilizaram algum do seu tempo no fim-de-semana para participar na campanha de recolha".

    "Tarefas como a recolha nos estabelecimentos comerciais, o transporte, pesagem e separação dos produtos, foram integralmente asseguradas pelos voluntários", referiu Isabel Jonet.

    Esta é a 32ª campanha de recolha de alimentos organizada pelos Bancos Alimentares Contra a Fome, que iniciaram a sua actividade em 1992 com o objectivo de promover a luta contra a fome de modo a minorar situações de pobreza em Portugal.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.