Angra elege conselhos de administração das empresas municipais

 Angra elege conselhos de administração das empresas municipais

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Nov de 2009, 05:19

A Câmara Municipal de Angra do Heroísmo aprovou hoje por maioria, à segunda tentativa, a constituição dos Conselhos de Administração dos Serviços Municipalizados e da empresa municipal Culturangra, após reunião extraordinária convocada para o efeito.

Na primeira reunião ordinária após as eleições autárquicas, ganhas pelo Partido Socialista com maioria relativa (três vereadores), os partidos da oposição, PSD (três vereadores) e CDS/PP (um vereador) inviabilizaram as listas propostas pela presidente da autarquia, Andreia Cardoso.

De acordo com os dirigentes partidários da oposição “as listas deveriam reflectir um equilíbrio de acordo com a vontade expressa pela população no acto eleitoral”.

Andreia Cardoso reflectiu sobre as propostas da oposição e refez as listas contemplando para os serviços municipalizados um lugar de vogal para o PSD e na Culturangra com outro para o CDS/PP.

Durante a reunião, o Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados foi aprovado por seis votos favoráveis (PS e PSD) e um voto contra (CDS/PP), enquanto na Culturangra votaram favoravelmente o PS e o CDS/PP e contra o PSD.

Andreia Cardoso sublinhou que, da sua parte, “sempre houve abertura para incluir uma representação de todos os partidos” mas chamando a atenção que “os conselhos de administração devem ter a sua confiança política”.

“Passamos a poder desempenhar todas as funções rapidamente porque há problemas para resolver e as populações querem celeridade nos processos”, vincou a autarca.

O vereador social-democrata, António Ventura, disse que votou contra, alegando: “Devíamos estar representados nos dois conselhos de administração, dada a nossa expressão eleitoral”.

“Não houve diálogo mas a imposição de um nome, sem que tivessem sido explicados os argumentos para a sua escolha”, acusou o vereador.

António Ventura sustentou que “os membros dos conselhos de administração não deviam integraer vereadores porque não se pode ser ao mesmo tempo Olívia patroa e Olívia empregada”.

“O executivo municipal existe para fiscalizar estes organismos enquanto é fiscalizado, por seu lado, pela Assembleia Municipal”, argumento António Ventura.

Artur Lima, vereador do CDS/PP, explicou que “votou contra o conselho de administração dos serviços municipalizados por divergência com a pessoa que vai presidir [vereador socialista Cota Rodrigues].

“Não foi uma questão partidária, não foi por não integrarmos o conselho mas por entendermos que não é a pessoa a quem os serviços ficam melhor entregues”, adiantou.

Para Artur Lima, “a colocação em cada um dos conselhos de administração de um membro da oposição parece uma posição equilibrada”.

Prometeu “trabalho rigoroso e exigente acção fiscalizadora, sem subserviência mas apenas na defesa dos interesses dos munícipes”.

Para o conselho de administração dos Serviços Municipalizados foram nomeados Francisco Cota Rodrigues e Eduardo Brito Azevedo, ambos do PS e Anselmo Barcelos do PSD.

Para a Culturangra, Andreia Cardoso acumula as funções de presidente da empresa municipal e da autarquia, acompanhada no conselho de administração por Sofia Couto (PS e ex-veradora) e Félix Rodrigues (CDS/PP), Professor universitário.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.