2009 com menos touradas à corda

 2009 com menos  touradas à corda

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Nov de 2009, 12:47

 O número de touradas à corda na ilha Terceira este ano foi menor que em 2008, tendo-se realizado menos 22 espectáculos, disse hoje o investigador desta actividade José Henrique Pimpão.

“A crise financeira que também chegou aos Açores e os custos e burocracias associados às licenças para a realização das touradas” são os principais motivos apontados para a redução do número de espectáculos, adiantou aquele aficionado.

José Henrique Pimpão disse que “os ganaderos já solicitaram a alteração do regulamento das touradas à corda para terminar com a distinção entre tradicionais e não tradicionais, que reside, exclusivamente, nos custos [das licenças] e dias de realização”.

O facto de as tradicionais acompanharem o calendário das festividades de cada freguesia faz com que [as respectivas licenças] sejam mais baratas 500 a 600 euros por corrida, explicou, acrescentando que “as não tradicionais, que apenas podem decorrer aos sábados, domingos e feriados, custam cerca de mil euros, valor que muitas vezes é mais elevado que o cobrado pelos ganaderos no aluguer dos touros”.

Por esse motivo, este ano decorreram menos três touradas tradicionais e menos 19 não tradicionais que em 2008.

Isto significa, segundo o investigador, que “as não tradicionais, porque se realizam aos fins-de-semana e feriados, são 'às carradas' no mesmo dia, originando que algumas fiquem 'às moscas', com prejuízo para todos os intervenientes na festa”.

José Henrique Pimpão acompanha os ganaderos na reivindicação da alteração do regulamento, sustentando que “as touradas à corda já são uma indústria na ilha, que sustenta muita gente que só vive disto, e deve ser considerada uma actividade comercial como outra qualquer”.

O investigador precisou que em 2008 ocorreram 268 touradas à corda e em 2009 apenas 246. As estatísticas são efectuadas desde 1996, ano em que se realizaram 183.

Por meses - entre Maio e Outubro -, foi em Agosto que decorreu o maior número de touradas à corda na ilha, 58. Maio foi o mês em que se registaram menos (23).

De acordo com os números, o concelho de Angra do Heroísmo, com 19 freguesias, realizou 141 touradas, e o da Praia da Vitória, com 11 freguesias, realizou 105.

Quanto aos onze ganaderos inscritos na Associação Regional de Criadores da Tourada à Corda, foi Humberto Filipe que forneceu animais para o maior número de touradas, vacadas e bezerradas (66), seguido de José Albino Fernandes (54), enquanto Manuel João forneceu animais para apenas quatro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.