Vasco Cordeiro espera que reforço de 43 médicos melhore cobertura da população

Vasco Cordeiro espera que reforço de 43 médicos melhore cobertura da população

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Nov de 2018, 21:51

O presidente do Governo dos Açores declarou hoje ter a “fundada expetativa” de que o reforço de 43 médicos a realizarem especialidade promova um “avanço muito considerável” na cobertura da população dos Açores com médicos de família.

Vasco Cordeiro referiu na inauguração da remodelação da Unidade de Saúde da Maia, no concelho da Ribeira Grande, integrada na visita de trabalho do executivo açoriano à ilha de São Miguel, que, no âmbito do reforço dos recursos humanos do Serviço Regional de Saúde (SRS), desde 2015 foram contratados cerca de 30 médicos de família para promover a melhoria do acesso dos açorianos aos cuidados de saúde.

O líder do executivo socialista destacou ainda que a produtividade do SRS tem vindo a crescer, exemplificando que o número de consultas médicas de todas as especialidades ultrapassou as 800 mil em 2017.

O chefe do executivo açoriano disse que Unidade de Saúde da Maia vai promover uma melhoria das condições de acesso à saúde a cerca de 3.300 pessoas daquela freguesia e das vizinhas de São Brás, Porto Formoso e Lombinha da Maia.

Vasco Cordeiro referiu que nos últimos dois anos a Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel investiu, apenas na melhoria de instalações e equipamentos, dois milhões de euros, tendo sido melhoradas e requalificadas na presente legislatura as unidades de saúde das Feteiras, dos Arrifes, de Água de Pau, das Furnas, de Rabo de Peixe, da Fajã de Cima e o Centro de Saúde da Ribeira Grande. Vai ser inaugurada em breve a Unidade de Saúde da Candelária.

No âmbito da visita do Governo Regional, a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou que a segunda fase da intervenção na Estrada N.º 2 – 2.ª, no troço Furnas – Ribeira Quente, no concelho da Povoação, será lançada durante o primeiro trimestre do próximo ano.

No final de uma visita às obras da primeira fase, já concluídas, Ana Cunha disse que a segunda fase, para além da intervenção em diversos taludes, com diversas técnicas, da colocação de redes para sustentar as terras, "tem uma face mais visível, que é a construção de um túnel em semicírculo, a seguir ao túnel já existente”.

A segunda fase da intervenção representa um investimento de 3,6 milhões de euros, tendo um prazo de execução de 18 meses, ainda segundo a governante.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.