"Os Verdes" pedem estudo de impacte ambiental sobre porto espacial de Santa Maria

"Os Verdes" pedem estudo de impacte ambiental sobre porto espacial de Santa Maria

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Abr de 2019, 18:30

A deputada do partido ecologista "Os Verdes" Heloísa Apolónia denunciou haver "falta de informação" sobre o futuro porto espacial em Santa Maria, pedindo um estudo de impacte ambiental sobre o projeto.

"Há uma falta de informação, uma carência enorme de informação", e "aquilo que as pessoas estão a sentir é que essa falta de informação pode significar a procura de escamotear o que verdadeiramente está em causa", considerou a parlamentar ecologista.

Heloísa Apolónia falava aos jornalistas em Ponta Delgada, após ter estado, na segunda-feira, na ilha de Santa Maria, tendo aí tomado contacto com o projeto do porto espacial e ouvido a população e entidades.

A decisão de implementar o porto "parece estar tomada, ou em vias de ser tomada, quando nem sequer foi feita qualquer avaliação do projeto, designadamente a nível de impacte ambiental", sinalizou a ecologista.

"Estamos em crer que, se essa avaliação for feita, aquele projeto não vai para a frente", prosseguiu a deputada, falando em "impactos sobre o território, pequenas atividades económicas sustentáveis e a segurança" da ilha.

Ao não se ter feito um estudo ambiental antes da tomada de decisão, está-se a "trair a lógica, as populações e o território", considerou ainda a deputada de "Os Verdes".

Na sua passagem pelos Açores, a parlamentar defendeu ainda serem necessários "projetos direcionados" para a "conservação" da natureza, um "problema global" e que, nos Açores, devido às suas especificidades e mais-valias neste campo, deve ser particularmente tido em conta.

O presidente do Governo Regional dos Açores classificou recentemente como um “passo importante e concreto” a publicação do concurso público para a construção e exploração de um porto espacial em Santa Maria.

O líder do executivo açoriano frisou que, durante as várias fases do processo, “será possível salvaguardar um aspeto no qual o Governo Regional tem insistido sempre e colocado sempre à cabeça deste processo, que tem a ver com a salvaguarda das componentes ambiental e de segurança”.

“Espero que concorram todos aqueles que virem neste projeto também uma resposta que, da nossa parte, valoriza a posição dos Açores e a sua rentabilização como fator de criação de riqueza e de criação de emprego que acautele a componente de segurança e ambiental”, afirmou ainda o governante.

O júri do concurso é composto pela presidente da Agência Espacial Portuguesa, Chiara Manfletti, o vice-presidente da agência e coordenador da estrutura de missão dos Açores, Luís Santos e o presidente do Conselho de Administração da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA), Vítor Fraga, bem como outras personalidades da Fundação para a Ciência e Tecnologia e do meio académico, avançou Vasco Cordeiro.

O Governo aprovou no dia 07 de março a criação da agência espacial portuguesa Portugal Space, com sede na ilha açoriana de Santa Maria, onde será construída uma base de lançamento de microssatélites.

Uma das missões da Portugal Space será promover "novas atividades e negócios" no setor espacial, em particular na observação da Terra com pequenos satélites, e "facilitar uma maior participação de Portugal nos programas europeus", da Agência Espacial Europeia (ESA) e da União Europeia.

A agência espacial portuguesa é um dos pilares da estratégia nacional para o setor do espaço - "Portugal Espaço 2030".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.