Neve e ventos fortes afectam tráfego aéreo


 

lusa   Nacional   20 de Dez de 2009, 17:12

O mau tempo está a afectar o tráfego aéreo em vários países, incluindo Portugal, com a neve e os ventos fortes a obrigar ao cancelamento de voos ou à alteração de rotas.

Na região autónoma da Madeira, nove aviões alteraram a rota para outros aeroportos devido aos fortes ventos sentidos no aeroporto internacional.

Cinco aeronaves desviaram a sua rota para a ilha do Porto Santo (SATA, TAP, Air Berlin, EasyJet e Primeira) e quatro para Lisboa (todos da TAP).

As más condições atmosféricas também se fazem sentir no mar e obrigaram o navio que faz as ligações diárias inter-ilhas (Madeira-Porto Santo) a ficar no porto do Funchal.

De acordo com o Instituto de Meteorologia, o arquipélago da Madeira está em alerta laranja com previsão de ventos fortes com rajadas que poderão atingir os 120 quilómetros por hora nas zonas altas e chuvas.

Também as ilhas do Grupo Central dos Açores deverão ser fustigadas por ventos cuja intensidade poderá atingir os 120 quilómetros por hora a partir do fim do dia de hoje e até segunda-feira à tarde, alertou hoje a Protecção Civil.

No resto da Europa, o mau tempo está a condicionar o tráfego aéreo na Holanda, França, Bélgica e Alemanha, numa altura em que muitas pessoas viagem para passar o Natal com as famílias.

Em Berlim, o tráfego no aeroporto de Dusseldorf, terceiro mais importante da Alemanha, foi encerrado hoje devido a fortes nevões.

"O tráfego está interrompido desde manhã", indicou um porta-voz da polícia de Dusseldorf que não estava em condições de dizer quando será reaberto.

Na Holanda, os caminhos-de-ferro e a aviação comercial, assim como parte dos transportes por autocarro, estão hoje a registar perturbações devido a fortes quedas de neve, segundo as autoridades locais.

No aeroporto de Amsterdão-Schiphol, os voos registavam hoje de manhã atrasos de 45 minutos em média, estando em curso um serviço permanente de limpeza de duas pistas para permitir aos aviões descolar e aterrar.

Nenhum autocarro nem eléctrico circulava hoje em Haia nem na província do Brabant (sul), Frise (sudeste) e Groningue (norte), informou a agência de imprensa holandesa ANP, justificando a paralisação pela altura das camadas de gelo que em certos pontos do país atingia 15 centímetros de altura.

Também a Bélgica está hoje paralisada pela neve, com os três principais aeroportos encerrados, incluindo o de Bruxelas, estradas cortadas e o trânsito proibido aos veículos pesados no sul do país, segundo o Instituto Real Meteorológico (IRM).

O aeroporto internacional de Bruxelas, em Zaventem, está encerrado, bem como os de Charleroi e de Liége, e os veículos pesados de mais de 7,5 toneladas estão proibidos de circular nos principais eixos da Valónia.

Sábado foi considerado pelo Instituto Real de Meteorologia como dia mais frio do ano, tendo os termómetros nas Ardenas registado temperaturas de -17 graus Celsius e em Bruxelas as máximas andaram pelos -6 graus.

Na Polónia 15 pessoas morreram de frio no sábado devido às baixas temperaturas que onde chegaram aos 20 graus negativos.

Ainda suspensos continuam os serviços do Eurostar, linha ferroviária que liga Londres, Bruxelas e Paris, depois de várias falhas terem obrigado milhares de pessoas a ficarem presos em pleno tunel da Mancha durante o passado sábado.

As autoridades estimam que a quebra de circulação afectou cerca de 50 mil pessoas.

A vaga de frio está também a afectar os Estados Unidos, onde já morreram cinco pessoas.

Devido às más condições climatéricas, foram cancelados centenas de voos, tanto internos como internacionais, ao largo da costa Este.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.