Pão

Ministro da Agricultura não vê razões para aumento de 12% no preço do pão

Ministro da Agricultura não vê razões para aumento de 12% no preço do pão

 

Lusa/AO online   Economia   30 de Nov de 2010, 10:08

O ministro da Agricultura, António Serrano, disse não ver “uma razão para um aumento tão grande” no preço do pão, como aquele de 12 por cento recentemente anunciado pelos industriais do sector, a quem pediu “bom senso”.
 Falando em Bruxelas, à margem de uma reunião de ministros da Agricultura e Pescas da União Europeia, António Serrano sublinhou que o Governo não pode intervir nesta matéria, pois “não compete ao Governo estabelecer preços” e “não o pode fazer”, mas disse esperar que os industriais levem em conta a época difícil quando decidirem sobre o preço de um “bem essencial”.

Os industriais do sector anunciaram recentemente que o preço do pão deverá subir pelo menos 12 por cento a partir de Janeiro, devido ao aumento do preço da farinha, mas António Serrano considera que a subida do preço da matéria-prima não justifica tal aumento, até porque esta “é apenas uma componente da sua estrutura de custos” da produção do pão, “e não é a principal”.

Para o ministro, o aumento não se deverá por isso “exclusivamente por razões associadas ao aumento da matéria-prima” e “provavelmente haverá outras razões que levarão a essa tomada de decisão dos industriais”.

“Não vejo que haja uma razão para um aumento tão grande, mas os industriais naturalmente farão as suas contas e eles é que saberão qual é a estrutura exacta de custos. É uma matéria onde o governo não intervém, na formação dos preços, e cabe aos industriais e aos privados tomar a sua decisão. O que eu espero é que o façam com bom senso e também de modo adequado à época que vivemos, que é uma época de dificuldades”, declarou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.