Governo adota medidas para ampliar políticas comerciais no cenário internacional

Governo adota medidas para ampliar políticas comerciais no cenário internacional

 

Lusa/AO online   Internacional   10 de Out de 2011, 19:55

O Brasil anunciou hoje a adoção de uma série de medidas relacionadas à sua política comercial externa, com o objetivo de buscar novos mercados e ampliar sua capacidade de defesa comercial de âmbito internacional

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o grupo que trabalha com a Coordenação-Geral de Contenciosos (CGC) será reforçado com a duplicação de seu pessoal e ampliação das formações específicas para atuação na esfera comercial e junto à Organização Mundial de Comércio (OMC).

"Pela primeira vez, desde a criação do CGC, há 10 anos, a configuração de Chefe + 4 diplomatas passará a ser de Chefe + 8", informou o governo numa nota.

Ainda no sentido de expandir o pessoal capacitado, o governo anunciou a autorização da contratação de advogados especializado no tema e a inclusão da disciplina "OMC e Contenciosos" no currículo do Curso de Formação do Instituto Rio Branco, curso ministrado aos diplomatas recentemente integrados na carreira.

Prevê-se ainda a ampliação de oportunidades de capacitação oferecidas pela Missão do Brasil junto À OMC, pela Embaixada do Brasil em Washington e pela CGC.

A maior parte das medidas anunciadas refletem um interesse concreto do país em estar mais presente nas questões do comércio internacional como um todo.

Uma medida específica, no entanto, está focada à China, com o anúncio da criação de uma "task force" sobre o país asiático no âmbito da Subsecretaria-geral de Assuntos Económicos e Financeiros do Itamaraty.

Com a intenção de ampliar o mercado externo brasileiro, anunciou-se a realização de "encontros regulares" da área económica do Itamaraty com lideranças do setor empresarial "para identificação de barreiras externas ao comércio de produtos brasileiros".

Entre as medidas mais concretas, está a previsão de ampliar a participação anual do Departamento de Promoção Comercial do Itamaraty em feiras no exterior. A meta é passar das 130 registadas em 2010 para 190 até 2015.

Prevê-se ainda a elevação - de 35 para 100 - do número de estudos sobre investimento e comércio e pesquisas de mercado, quer sejam contratados ou realizados diretamente pelo Departamento de Promoção Comercial do Itamaraty.

As medidas foram anunciadas pelo Ministro das Relações Exteriores, António Patriota, durante um seminário que marcou os dez anos da criação da Coordenação de Contenciosos do Itamaraty, que acumula vitórias recentes como no caso do algodão, com os Estados Unidos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.