Novo aeroporto internacional de Lisboa

Estudo do MIT serve para formar novos especialistas


 

Lusa / AO online   Economia   24 de Out de 2007, 12:51

O estudo sobre um novo aeroporto internacional em Lisboa que o Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT) está a desenvolver vai servir para a formação de novos especialistas aeroportuários da instituição e não para qualquer decisão em Portugal.
Em declarações à agência Lusa, o coordenador do programa MIT-Portugal explicou que o estudo é um trabalho "de base científica", "um trabalho de investigação, desenvolvido por alunos no âmbito das suas teses de mestrado e doutoramento" que tem como objectivo "formar especialistas capazes de gerir aeroportos".

"Não fazemos projectos de consultadoria. Colocamos estudantes a trabalhar e não temos nenhum compromisso com o Governo português ou qualquer outra entidade", esclareceu Paulo Ferrão.

Além disso,"só no final de três ou quatro anos de trabalho é que vão existir resultados concretos", o que impossibilita que os resultados deste estudo sejam tidos em conta na decisão sobre a localização do novo aeroporto de Lisboa, que deverá ser conhecida no dia 12 de Dezembro, aquando da entrega do estudo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

Este projecto, que ainda não se iniciou, intitula-se "AirNets - Implications of Congestion for the Configuration of Airport Networks and Airline Networks" e visa desenvolver modelos matemáticos sobre a operação de redes de aeroportos e de companhias de aviação.

De acordo com o coordenador nacional do Programa MIT-Portugal, o objectivo é "desenvolver uma análise quantitativa com base na informação recolhida em dois casos de estudo, uma rede de aeroportos norte-americana e outra europeia".

Estes estudos destinam-se a formar a próxima geração de especialistas em gestão aeroportuária, os quais nos permitirão, a médio prazo, "obter ganhos de eficiência na gestão de sistemas complexos de transportes".

"O nosso estudo não poderá contribuir para apoiar qualquer processo de tomada de decisão relativamente à localização do novo aeroporto de Lisboa. Aliás, estamos longíssimo de poder contribuir. Queremos sim, contribuir para a formação de novos especialistas", sublinhou Paulo Ferrão.

Na terça-feira, fonte oficial do Ministério das Obras Públicas, em declarações à agência Lusa, já tinha afirmado que este trabalho do MIT não "é um estudo encomendado", sublinhando que se tratava de "um projecto de investigação de universitários".

"Não é um estudo encomendado, não é um relatório científico. Trata-se de um projecto de investigação, uma coisa teórica", explicou a mesma fonte.

O Governo português e o MIT assinaram a 11 de Outubro de 2006, no âmbito do Plano Tecnológico, um acordo de parceria para a área de gestão e engenharia, que envolve sete universidades portuguesas.

O programa MIT-Portugal inclui quatro áreas temáticas: engenharia de concepção e sistemas avançados de produção, sistemas de bioengenharia, sistemas sustentáveis de energia e sistemas de transportes.

Cada área temática promove actividades de investigação e de ensino, entre as quais a criação de novos e inovadores programas de estudos avançados ao nível de doutoramento, e também de programas anuais de especialização e/ou formação avançada, ou a realização de seminários, destinados à formação de alto nível de quadros de empresas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.