Azores Rallye 2019

Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio favoritos contra a armada estrangeira no rali dos Açores

Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio favoritos contra a armada estrangeira no rali dos Açores

 

Lusa/Susete Rodrigues   Motores   20 de Mar de 2019, 09:08

Os portugueses Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio partem como favoritos à vitória no rali dos Açores, entre quinta-feira e sábado, prova de abertura do Campeonato Europeu de Rali, do Campeonato dos Açores de Ralis e que também pontua para o Nacional.

O caráter Europeu do evento, que vai na 54.ª edição, traz ao arquipélago uma armada de estrelas internacionais, a começar pelo russo Alexeyy Lukyanuk (Citroen C3), campeão europeu de ralis, mas as maiores atenções recaem nos portugueses Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5) e Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5).

Ricardo Teodósio chega a esta prova -  a segunda do Nacional - como líder do campeonato, após a vitória em Fafe. "Para mim é sempre um prazer correr nos Açores, que considero um dos mais bonitos do campeonato", afirmou o piloto, que tem José Teixeira como navegador.

O piloto traz, além da motivação, melhorias no Skoda Fabia R5: "A prova deste ano tem cerca de 40% de novos troços, mas acredito que as características das especiais não serão muito diferentes [do habitual]. Chegamos motivados pela vitória em Fafe e com uma melhoria no diferencial e na caixa de velocidades, pelo que acredito que vou conseguir uma afinação já muito perto daquilo que considero ideal", disse.

Já o campeão europeu de 2018, Alexey Lukyanuk, não esquece "a atmosfera incrível" que rodeia a prova, esperando "explorar novos troços" na ilha de São Miguel.

Por sua vez, Bruno Magalhães (Hyundai i20), que este ano regressa ao campeonato nacional a tempo inteiro e que aqui venceu em 2008, 2010 e 2017 é outro dos favoritos.

Apesar de este ano não participar no Europeu, quer "somar o máximo de pontos" a pensar no título nacional, a grande ambição de 2019.

"Foi o compromisso que assumimos este ano e é nisso que estamos focados. O facto de ter de desistir de lutar pelo título europeu a duas provas do fim em 2018 devido à falta de patrocínios foi uma desilusão muito grande. Face ao desafio de voltar a fazer um campeonato completo, o que já não acontecia desde 2011, não podia recusar", explicou Bruno Magalhães, em declarações à agência Lusa.

Apesar de ter falhado as duas últimas jornadas, ainda foi terceiro classificado, depois de ter sido vice-campeão no ano anterior.

A prova dos Açores conta ainda com a presença de pilotos como Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5) e Ricardo Moura (Skoda Fabia R5), o grande favorito do público, ou não fosse piloto da terra.

O madeirense Bernardo Sousa (Citroën C3 R5) será outro dos regressados a marcar presença.

Entre os ausentes, nota para o campeão nacional Armindo Araújo (Hyundai i20), que optou por não nomear esta prova para pontuar no campeonato português, ou do antigo campeão José Pedro Fontes (Citroën C3 R5).

O rali dos Açores tem início esta quarta-feira à noite, com uma especial noturna, no centro da cidade de Ponta Delgada, e termina no sábado. Ao todo serão 690 quilómetros de extensão, dos quais 223,93 serão cronometrados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.