Benfica ‘esmaga’ Sporting de Braga na melhor exibição da época

Benfica ‘esmaga’ Sporting de Braga na melhor exibição da época

 

Lusa/Ao online   Futebol   23 de Dez de 2018, 18:43

O Benfica venceu este domingo o Sporting de Braga por 6-2, na 14.ª jornada da I Liga de futebol, num jogo que dominou por completo e em que conseguiu aliar o resultado ‘gordo’ a uma exibição de ‘encher o olho’.

Com este triunfo, o Benfica sobe provisoriamente ao segundo lugar da classificação, com 32 pontos, enquanto o Sporting de Braga cai para o quarto lugar, mantendo os mesmos 30 pontos com que entrou no Estádio da Luz.

O primeiro golo da partida surgiu ao minuto 19, por Pizzi, e Jardel aumentou a vantagem aos 39. Já na segunda parte, aos 48, Grimaldo fez o 3-0, e Dyego Sousa reduziu para 3-1 à passagem do minuto 51. O Benfica voltou ‘à carga’ por Jonas, que fez o 4-1 aos 54, e Cervi colocou o resultado em 5-1 ao minuto 63. Quatro minutos depois, aos 67, André Almeida fez o melhor golo da noite, num pontapé indefensável de fora da área, e coube a João Novais fechar o resultado em 6-2, quando o cronómetro marcava 73 minutos.

O Benfica entrou melhor no encontro e desde cedo tomou conta da iniciativa de jogo. Mais expectante, o Sporting de Braga ia controlando os espaços dados aos criativos do Benfica e impediu lances de perigo no primeiro quarto de hora.

Aos 19 minutos surgiu o primeiro lance de golo do encontro, com Jonas a aparecer sozinho na pequena área bracarense, mas a desperdiçar com um remate totalmente desenquadrado. Contudo, o lance seguiu, a bola chegou a Pizzi e o médio, a partir da ala esquerda, fletiu para o meio e rematou para o poste mais longe. Tiago Sá bem se esticou, mas não teve hipótese de parar o remate do 21 do Benfica. Estava feito o 1-0.

O Sporting de Braga ‘acordou’ então para o jogo e pôs o Benfica em sentido. Aos 24 minutos, Fransérgio bateu a dupla Gedson-Fejsa e disparou um míssil para a baliza de Vlachodimos, que contou com a trave para evitar o empate.

O Braga estava por cima no jogo e teve mais três possibilidades de empatar o jogo: aos 25, Pablo cabeceou pouco ao lado do poste na sequência de um lançamento de linha lateral, no minuto seguinte, Dyego Sousa arrancou pelo flanco direito e rematou à malha lateral da baliza ‘encarnada’, e aos 34 uma enorme defesa de Vlachodimos impediu a festa bracarense a remate de Horta, já na pequena área.

Não marcaram os arsenalistas e o Benfica chegou ao 2-0. Aos 39 minutos, na marcação de um canto, Jardel chegou com a cabeça onde Tiago Sá não conseguiu chegar com as mãos e atirou a contar. Os minhotos ainda pediram falta sobre o guarda-redes, mas o VAR validou o golo das ‘águias’.

Se a primeira parte já tinha sido intensa, que dizer do recomeço de jogo. Logo aos 48, Grimaldo isolou-se na esquerda do ataque ‘encarnado, tentou servir Jonas, mas um corte deficiente da defesa do Sporting de Braga voltou a colocar a bola nos pés do espanhol, que não se fez rogado e de pé direito desfeiteou Tiago Sá pela terceira vez.

O jogo estava eletrizante e o Sporting de Braga respondeu pelo inevitável Dyego Sousa. Aos 51 minutos, Sequeira descobriu o avançado livre de marcação na área das ‘águias’ e o cabeceamento do brasileiro não deu hipóteses a Vlachodimos, colocando o resultado em 3-1.

Podia ter sido o estímulo que faltava à equipa de Abel Ferreira para reentrar na luta pelo resultado, mas o Benfica não permitiu e, apenas três minutos depois, aos 54, Jonas quis também colocar o seu nome na folha de marcadores do encontro. A jogada teve o toque de classe de Gedson, que num passe magistral isolou Cervi, e o argentino colocou a bola numa bandeja para Jonas fazer o 4-1 e o seu sexto golo no campeonato.

O brasileiro saiu de seguida para a ovação da noite, deu lugar a Seferovic, mas a produtividade dos encarnados não diminuiu: na primeira vez em que tocou na bola, o suíço desmarcou Zivkovic, o sérvio cruzou rasteiro para o centro da área minhota e Cervi disparou para o 5-1.

O Benfica não abrandava e o Sporting de Braga desmoronou-se por completo. A equipa de Rui Vitória dominava a seu belo prazer e o momento da noite chegou ao minuto 67, num golo magistral de André Almeida: à entrada da área, o lateral direito do Benfica apanhou a bola a meia altura e de pé esquerdo atirou ao ângulo superior direito da baliza de Tiago Sá, que nem se fez à bola.

O Sporting de Braga ainda reduziu por João Novais, aos 73 minutos, num lance em que a defesa do Benfica concedeu muito espaço, mas há muito que estava encontrado o vencedor do encontro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.