BE apresenta voto de protesto contra embaixador dos Estados Unidos


 

Lusa / AO online   Nacional   28 de Nov de 2007, 16:28

O Bloco de Esquerda apresentou um voto de protesto pelas recentes declarações do embaixador dos Estados Unidos em Portugal, Alfred Hoffman, que considera representarem uma "ingerência na soberania democrática do povo português".
O voto de protesto do Bloco de Esquerda, que será discutido e votado em plenário na sexta-feira, acusa o embaixador norte-americano de adoptar "um comportamento pouco comum" e de "desconsiderar" as regras da diplomacia internacional.

Segundo o Bloco de Esquerda, no passado dia 06, Alfred Hoffman pronunciou-se sobre a lei laboral, "cuja elaboração compete ao Parlamento, declarando que Portugal tem de reduzir a burocracia e actualizar as leis laborais".

"Mais recentemente, o mesmo embaixador decidiu condenar uma empresa portuguesa [a Galp] pelo facto de estabelecer acordos de negócios com a Venezuela, apesar de os Estados Unidos procederem da mesma forma", refere o documento dos bloquistas.

O Bloco de Esquerda insurge-se também contra os comentários feitos pelo embaixador sobre a visita do Presidente da Venezuela, Hugo Chavez, a Portugal.

"Parece que Espanha e Estados Unidos então na lista do Diabo e Portugal está na lista dos abraçados", afirmou Hoffman [sobre a visita de Chavez a Lisboa] citado pelo Bloco de Esquerda.

Ainda de acordo com esta força política, o embaixador dos estados Unidos pronunciou-se sobre o planeamento da distribuição das forças militares portuguesas, designadamente no Afeganistão.

Sobre este assunto, aponta o Bloco, Hoffman disse não ter ficado surpreendido com as opções do Governo português, porque "os líderes europeus parecem mais intimidados com sondagens do que determinados a convencer as suas opiniões públicas da importância da luta no Afeganistão".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.