Cor e alegria na festa de abertura, ensombrada pela ausência de Mandela

Cor e alegria na festa de abertura, ensombrada pela ausência de Mandela

 

Lusa/AO Online   Futebol   11 de Jun de 2010, 15:09

A África do Sul deu hoje as boas vindas ao primeiro Mundial de futebol a disputar no continente africano com um espetáculo colorido, num Soccer City completamente lotado, por 90 000 espetadores.

A cerimónia foi, no entanto, ensombrada pela ausência de Nelson Mandela, o primeiro presidente negro do país, devido à morte de uma das suas bisnetas, hoje de madrugada, num acidente de viação.

Sob a lona gigante que cobria o relvado do estádio, surgiram dezenas de figurantes vestidos com trajes tradicionais, um escaravelho gigante, e um mapa do continente africano, no qual foram surgindo pegadas, caminhando de Sul para Norte, como fez a espécie humana.

No meio do círculo central surgiu depois uma réplica de uma tigela típica sul-africana, forma idêntica e tons terra idênticos à do estádio Soccer City, que hoje acolhe o jogo inaugural, entre a África do Sul e o México.

Depois, foi tempo de evocar os verdadeiros protagonistas da festa: as 32 seleções que vão disputar a prova, cuja final está agendada para 11 de julho.

No centro do relvado, um grupo de figurantes vestidos de branco foram mostrando e ocultando os nomes, escritos em inglês, dos 32 países participantes.

O último, o da África do Sul, gerou um barulho ensurdecedor no estádio, que se manteve quando os mesmos figurantes “construíram” no relvado o logótipo oficial da competição.

Os aviões que tinham sobrevoado o estádio no início voltaram a fazer algumas acrobacias, enquanto muitos se apressavam a libertar o relvado, para dar todo o protagonismo ao “desporto rei”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.