Açoriano Oriental
Escola
Escola Secundária da Lagoa

Todos os conteúdos publicados são da responsabilidade da Escola

Feira de Ciência 4.0 na ESLagoa



Este ano a Feira de Ciência, organizada pelos alunos de Química do 12ºano e pela docente Paula Silva, ocorre em termos diferentes, força da situação pandémica que vivemos, e que nos tem obrigado a pensar fora do habitual e a tentar formas diferentes de aproximar a comunidade educativa. https://fisquisilva.wordpress.com/curiosidades/feira-4-0-2020-2021/

Já na sua quarta edição, a Feira de Ciência da ESLagoa, tem sido um momento importante na divulgação da Ciência e incremento do espírito e curiosidade cintifica. Os alunos mais velhos, regra geral os do 12º Ano, desenvolvem atividades, experiências, que depois divulgam junto dos alunos das diversas escolas do concelho de Lagoa. A Escola Secundária de Lagoa tem vindo a manter uma forte aposta no domínio da ciência, seja na investigação propriamente dita, seja na divulgação da ciência junto das gerações mais novas, com a realização da Feira de Ciência.

Nos videos que constituem esta Feira de Ciência 4.0, os laboratórios são a casa de cada um, os materiais estão ao alcance de todos! E a Ciência acontece!

Estão todos de parabéns: Os alunos, as suas famílias e a professora Paula Silva, sempre incansável na preparação dos nossos alunos para os desafios do Séc. XXI.

Ficam aqui os testemunhos de cada um destes jovens cientistas, que são bem reveladores, por um lado, do que também se pode fazer, mesmo no ensino à distancia, por outro, das competências que cada um desenvolveu na execução deste projeto.


https://fisquisilva.wordpress.com/curiosidades/feira-4-0-2020-2021/

Testemunhos dos alunos

Apesar das circunstâncias e dos tempos complicados que estamos a passar, conseguimos adaptar a feira e realizá-la de forma diferente em casa. Apesar de ter sido cada um nas suas casas conseguimos superar as nossas dificuldades todos juntos, ajudando-nos uns aos outros.”

Sara Reis (12ºA)

 

 

Ao enfrentar uma situação de extrema dificuldade perante a pandemia é essencial adaptarmo-nos à realidade em que vivemos. Perante esta situação foi necessário levar a feira de ciência da escola secundária de Lagoa até às nossas casas. Tudo isto foi uma novidade tanto para os alunos como os professores pois estes enfrentaram grandes desafios. Um destes desafios foi levar a feira de ciência a casa fazendo com que fosse possível a realização das experiências da Feira. Apesar destas serem feitas com materiais quotidianos, algumas das dificuldades encontradas foram o facto de ser necessário a realização de um vídeo e a organização e autonomia por parte dos alunos. Com isto é possível verificar que a ciência e a Química estão entre nós.”

Jéssica Arruda e Marta Cabral (12ºB)

 

 

Ciência em casa! Um desafio! Sem dúvida foi um desafio, saber gerir o nosso tempo, saber o que fazer e como o fazer.

Tendo em conta as circunstâncias em que estamos inseridos foi uma experiência adequada, diferente, mas, sobretudo enriquecedora, tanto a nível pessoal como “profissional”. O aprender a desenrascar, a lidar com as frustrações, pedir ajuda quando é necessário… enfim posso dizer que foi enriquecedor. Sair da nossa zona de conforto foi o que fizemos e acho que, em geral, fomos bem-sucedidos. Também sentimos uma certa segurança por estarmos em ambiente familiar e termos os nossos familiares admirados por nos verem a trabalhar tanto, quase como uma simulação do que eles não assistem quando estamos na escola, e notou-se, no meu caso, uma certa preocupação e sentimento de ajuda, que se fizéssemos a feira este ano na escola também íamos sentir o mesmo através dos nossos colegas e professora, o sentimento de ajuda.

A feira de ciência escolar 4.0 foi tão gratificante e desafiadora ao mesmo tempo, uma alternativa espetacular.

Ana Borges (12ºA)

 

 

Neste semestre têm sido propostos vários desafios, nomeadamente uma experiência química. Realizando esta experiência em casa foi possível trazer a ciência para casa.

Na minha opinião acho que foi muito importante este desafio, pois além de nos proporcionar algum divertimento, também permitiu que nos testássemos a nós mesmos, colocando-nos à prova. Foi nos possível a oportunidade de testarmos as nossas capacidades de edição e de gerir o tempo, entre outros.

Gostei do desafio pois para além de ter aprendido algo novo, foi importante passar pela fase dos erros e da frustração, pois isso farão que no futuro estejamos mais aptos e à vontade para novos desafios futuros.”

Marta Sousa (12ºA)

 

“A experiência realizada em casa foi divertida, mas com dificuldades na edição de vídeo e como a professora não estava presente havia tarefas que tínhamos de fazer a mais, sendo mais trabalhoso o trabalho que foi proposto para fazermos.

Mas de resto foi agradável realizar este trabalho e ajuda-nos a superar-nos neste tipo de situação.”

Leonardo Coelho (12ºB)

 

 

“Neste ano atípico escolar, nada foi como era antigamente, as máscaras, o distanciamento e claro a feira de ciências escolar. Devido ao Covid a feira de ciências escolar teve de se adaptar, uma vez que não podia ser feito presencialmente.

Assim, as experiências foram alteradas de forma a que cada aluno conseguisse realizá-las em casa e gravar um vídeo das mesmas, para depois apresentar.

Deste modo, eu e a minha colega tivemos que realizar uma experiência com materiais que encontramos em casa. Nós gostamos da experiência, pois embora não tenhamos o contacto físico e o feedback dos alunos que estão a assistir à experiência, fazer um vídeo foi um novo desafio, onde tivemos de aprender a editar e a superar-nos a nós mesmos.

Assim, embora fazer um vídeo não seja o mesmo que a feira a experiência foi muito agradável e recompensadora.”

Sofia Benevides e Mariana Carreiro (12ºA)

 

“Na minha opinião a realização dos vídeos em casa foi algo divertido e que ao mesmo tempo, dentro das condições dos dias de hoje, dá para ensinar/aprender com eles. Quanto à feira 4.0 tenho a certeza que não vai ser a mesma coisa como os outros anos, como é óbvio, e que talvez não vai demonstrar tanto interesse as crianças e adultos que se interessam pela ciência, mas mesmo assim, daremos o nosso melhor.”

Miguel Costa (12ºA)

 

 

“Nesta semana foi-nos proposto fazer experiências e gravar. Ao fazer esta experiência aprendi muita coisa que num dia normal nunca ia aprender. Com este desafio de criar um vídeo sobre uma experiência a mexer com o software de edição e percebi melhor o quão difícil é criar um vídeo e gravar. A criação de um vídeo requer muita coisa, desde o planeamento, gravação e edição. Isto foi um desafio que de início achava simples, mas com o decorrer da experiência vi que era muito mais complicado do que parecia. Gostei muito deste desafio e se alguma vez tiverem a oportunidade de fazer algo deste género devem-no fazer.”

Afonso Pacheco (12ºA)

 

“Este ano a feira 4.0 devido à pandemia não foi possível realizar na escola, mas apesar disso, irá se realizar na mesma numa maneira adaptada ao nosso dia a dia, a partir dos vídeos que realizamos em casa. Como é óbvio, apresentamos dificuldades, pois a professora não estava connosco fisicamente, mas quando tínhamos alguma dúvida arranjávamos maneira de a contactar.”

Filipa Resende e Isabel Melo (12ºB)

AO Escolas

"A Maior Flor do Mundo"
Está patente, 12 a 18 de maio, na EB 1,2,3/JI das Furnas, a exposição "A Maior Flor do Mundo".
 
Escola Básica e Secundária da Povoação
Formandos da EFTH participam em ação dinamizada pela CRESAÇOR
Formandos finalistas da Escola de Formação Turística e Hoteleira participam na ação “Empreendedorismo Para Todos” dinamizada pela CRESAÇOR
 
Escola de Formação Turística e Hoteleira

Notícias AO

Viagens não essenciais para o Reino Unido permitidas a partir de segunda-feira
As viagens não essenciais de e para o Reino Unido vão ser permitidas a partir das 00h00 de segunda-feira, bastando apresentar um teste negativo para a covid-19 realizado nas 72 horas anteriores, anunciou fonte governamental.
 
Presidente da República convencido de que orçamentos para 2022 e 2023 vão passar
O Presidente da República declarou-se convencido de que os orçamentos para 2022 e 2023 vão passar e defendeu que por causa da execução dos fundos europeus é "ainda mais fundamental" a legislatura chegar ao fim.
 
Número de nascimentos em janeiro e fevereiro foi o mais baixo desde que há registos
Janeiro e fevereiro de 2021 tiveram os números mensais de nascimentos mais baixos desde que há registos, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).
 
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados