Marcelo, rodeado de crianças, diz esperar que prevaleça bom senso quanto às Lajes

Marcelo, rodeado de crianças, diz esperar que prevaleça bom senso quanto às Lajes

 

LUSA/AO online   Regional   2 de Jun de 2017, 14:04

O Presidente da República afirmou hoje, rodeado de crianças, que tem esperança de que prevaleça o bom senso no que respeita aos compromissos entre Portugal e os Estados Unidos sobre a base das Lajes, nos Açores

Marcelo Rebelo de Sousa visitou hoje a base das Lajes, na ilha Terceira, e estava no meio de cerca de 40 alunos da escola de ensino básico local quando os jornalistas lhe perguntaram se acredita que esses compromissos internacionais se vão manter.

"Não sei, naquilo que depende de nós, devem manter-se, é bom que se mantenham e é um desperdício não se manterem", respondeu, acrescentando: "Como eu sou uma pessoa esperançosa, tenho sempre esperança de que o bom senso prevaleça. É sempre a minha ideia".

Logo de seguida, o Presidente da República perguntou às crianças, filhas de militares e funcionários da base das Lajes e de residentes dos bairros circundantes, se "não acreditam no futuro", ao que estas responderam em coro: "Sim".

O Presidente da República começou o dia com um banho de mar na ilha das Flores, no porto do Boqueirão, junto ao hotel onde dormiu, e depois viajou para a ilha Terceira, num avião militar C295, que aterrou na base das Lajes perto das 11:30 locais (12:30 em Lisboa).

Na Base Militar N.º 4 da Força Aérea Portuguesa, o chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas esteve num 'briefing' sobre esta infraestrutura militar, fechado aos jornalistas, deu uma curta entrevista à Rádio Lajes, que completa agora 70 anos, e subiu à Torre de Controlo.

Marcelo Rebelo de Sousa acabou por fazer grande parte desse percurso acompanhado por uma parte dos alunos da escola da base das Lajes, de mão dada com alguns deles, em passo de corrida, e levou mesmo as crianças para as instalações da Rádio Lajes. No final, despediram-se com um abraço coletivo.

Antes de seguir para um almoço com mais de mil idosos, também na Praia da Vitória, o Presidente da República foi novamente questionado pelos jornalistas sobre o relacionamento com os Estados Unidos, especificamente a propósito dos problemas ambientais na base das Lajes.

"Como imaginam, esses dossiês estão permanentemente a ser objeto de diálogo entre as autoridades norte-americanas e as autoridades portuguesas. O bom senso aconselha a que não se tenha intervenções públicas sobre aquilo que está a ser tratado diplomaticamente", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, sem entrar em detalhes.

Segundo o chefe de Estado "os canais de diálogo entre os dois países são constantes, não há aqui interrupções", apesar de ter havido "uma descontinuidade na administração norte-americana".

O Presidente da República acrescentou que "esse, como outros dossiês, estão a ser permanentemente tratados" pelas autoridades regionais e nacionais, e o objetivo é "que se salvaguarde aquilo que é fundamental, relativamente às populações e à região autónoma como um todo, e a Portugal".

"Não há aqui contradição de interesses, há convergência de interesses", afirmou.

 

*Notícia atualizada às 15h40



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.