Portugal garante regresso de 42 emigrantes de ilhas das Caraíbas

Portugal garante regresso de 42 emigrantes de ilhas das Caraíbas

 

Lusa/AO Online   Internacional   11 de Set de 2017, 07:00

O Estado português vai garantir o regresso ao país de 42 portugueses residentes nas ilhas de Saint-Barthélemy, Saint-Martin e Guadalupe, nas Caraíbas, atingidas pelo furacão Irma, anunciou à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.


José Luís Carneiro adiantou que o Estado português vai fretar uma embarcação para transportar 28 portugueses residentes em Saint-Barthélemy e outros dois em Saint-Martin, em direção à ilha de Guadalupe, onde existe um aeroporto internacional em condições de operar, já que as infraestruturas de mobilidade e comunicações nas outras duas ilhas ficaram destruídas.

“São essencialmente familiares, mulheres e filhos, de portugueses que trabalham nestas ilhas, e que, na sua maioria, querem ficar” ali, referiu o governante com a tutela dos emigrantes.

O Governo português vai enviar para Guadalupe um avião militar C-130 para trazer este grupo para Portugal, explicou José Luís Carneiro.

“A proposta foi formalizada pelo gabinete de emergência consular e pelo diretor-geral dos Assuntos Consulares. Eu dei o meu acordo, o senhor ministro dos Negócios Estrangeiros concordou, em diálogo com o senhor primeiro-ministro. Será feita uma comunicação ao ministério da Defesa para acionar estes meios”, referiu.

No âmbito do pedido de apoio da unidade de crise da União Europeia, o Estado português vai procurar transportar também cidadãos espanhóis e romenos, “desde que haja condições” para tal.

Além disso, em Guadalupe, há mais 12 portugueses que sairão num avião francês, com destino a Paris, ainda hoje à noite, se as condições meteorológicas o permitirem.

Na capital francesa, os serviços consulares "tratarão de garantir o apoio" para assegurar o resto da viagem até Portugal, assumindo, "se for necessário", as despesas com alojamento, refeições e transporte.

O secretário de Estado indicou que, na sequência de contactos de autarquias de várias regiões do país e de familiares e amigos, o Governo conseguiu chegar à fala com “134 portugueses” residentes nestas ilhas.

Em relação a outras zonas atingidas pelo furacão Irma, José Luís Carneiro referiu que as autoridades portuguesas estão a acompanhar “os efeitos graves” na Florida, Carolina do Sul, Carolina do Norte e Geórgia, nos Estado Unidos.

Os cidadãos que necessitem de informações devem encaminhar os seus pedidos para a embaixada ou para os consulados portugueses, nomeadamente o consulado-honorário de Palm Coast, que “está disponível 24 horas”, apelou o secretário de Estado.

Sobre Cuba, José Luís Carneiro referiu que um grupo de 260 turistas portugueses foi transportado para locais mais seguros, mas “ainda não é possível fazer contactos” com este país, porque “falharam as comunicações e a eletricidade e há vias que estão intransitáveis”.

O governante insistiu que os portugueses devem encaminhar os seus pedidos para os consulados ou para o gabinete de emergência consular (através dos números de telefone 21 792 97 14 ou 961 706 472 ou do endereço gec@mne.pt) e devem também descarregar para os dispositivos móveis a plataforma gratuita Registo Viajante, que permite acionar pedidos de apoio e receber informação.

José Luís Carneiro disse ainda que um grupo de 300 portugueses ficou retido na Jamaica devido a problemas no aeroporto, “que ficou incomunicável”, mas o problema não teve a ver com os furacões que atingiram a região.

“Este grupo encontra-se bem e regressará regularmente em transporte comercial, no seguimento das condições previstas no acordo com as respetivas companhias de turismo”, disse, afirmando que esse regresso a Portugal poderá ocorrer dois ou três dias depois da data inicialmente prevista.

 




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.