"Esquerdas unidas" têm sido incapazes de relançar investimento e emprego

"Esquerdas unidas" têm sido incapazes de relançar investimento e emprego

 

Lusa/AO Online   Nacional   25 de Jul de 2016, 18:18

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defendeu hoje que "a solução governativa das esquerdas unidas" tem sido incapaz de relançar o investimento e o emprego e parece estar a "empurrar com a barriga" a despesa pública.

 

Assunção Cristas falava aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa, no final de uma reunião com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre a situação política, que durou cerca de uma hora.

A presidente do CDS-PP disse que esta conversa com o chefe de Estado "foi sobre esta sessão legislativa e sobre a avaliação deste momento" e manifestou-se preocupada sobretudo com a economia, mas também com a situação do setor financeiro.

Segundo Assunção Cristas, o Orçamento do Estado para 2016 tem sido "claramente incapaz de relançar a economia portuguesa, claramente incapaz de relançar o emprego".

"Esta solução das esquerdas unidas não nos parece que esteja a fazer nada de bem à economia, à vida dos portugueses, numa perspetiva de médio e de longo prazo", acrescentou.

Questionada sobre o Orçamento do Estado para 2017, a presidente do CDS-PP respondeu: "Essa não é uma matéria que nos preocupe, porque também não nos ocupa". Interrogada sobre a solidez da atual maioria de apoio ao Governo do PS, remeteu também essa questão para "os seus protagonistas".

Os jornalistas insistiram, contudo, para que esclarecesse se o CDS-PP aceitaria fazer parte de uma solução de Governo em cenário de crise.

"Eu não vou estar a comentar nenhum cenário que não está em cima da mesa", retorquiu Assunção Cristas. "Não depende de nós a manutenção ou não da atual solução governativa", acrescentou.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.