Easyjet deixa de voar para Ponta Delgada em outubro

Regional /
José Lopes, easyjet

21855 visualizações   

A companhia aérea Easyjet vai deixar de voar para Ponta Delgada no último fim de semana de outubro, decisão que se deve à falta de disponibilidade de avião para acompanhar a oferta atual.
 

“Decidimos que a partir do próximo inverno não iremos voar mais para Ponta Delgada”, anunciou esta manhã o diretor de vendas da Easyjet para Portugal durante uma conferência de imprensa em Lisboa.


Ao Açoriano Oriental o diretor comercial da Easyjet para Portugal explicou que esta decisão se deve à falta de disponibilidade de avião para acompanhar a oferta das outras companhias a operar atualmente em Ponta Delgada.


“Neste momento não temos disponibilidade de avião em Portugal para nos permitir pôr dois voos diários a operar para os Açores, o que quer dizer que não conseguimos colocar no mercado um produto que esteja ao nível daquilo que as pessoas esperam da Easyjet”, explicou José Lopes, referindo: “Neste momento somos o quarto ‘player’ em Ponta Delgada, onde tem havido um aumento exponencial da oferta. No inverno concorremos com entre seis a oito voos da nossa concorrência, o que também se irá verificar no verão e ao que se vai juntar uma terceira operação da TAP. A Easyjet para ter um produto vencedor necessitava de ter capacidade de disponibilidade de avião para no mínimo operar dois voos diários. Infelizmente isso não é algo que nos seja possível fazer”.


Questionado se esta opção se deve a uma descrença na evolução do turismo na Região, José Lopes diz acreditar “firmemente” na evolução positiva do mercado.


“Estou certo que a história do turismo dos Açores continuará a ser uma história de êxito”, afirmou, realçando que a empresa manterá “debaixo do olho” a evolução da rota entre Lisboa e Ponta Delgada e se no futuro “conseguirmos ter capacidade para entrar com um produto forte e vencedor iremos voltar a reequacionar a nossa decisão”.


O diretor comercial da Easyjet lembrou ainda o papel que a empresa teve no sucesso da estratégia do turismo da Região.


“Fazemos no final deste mês de março, no dia 29, dois anos do dia em que aterrou o primeiro voo privado, um voo da Easyjet, após a liberalização do espaço aéreo açoriano. Há sempre muita discussão sobre de quem é paternidade, mas não há dúvida nenhuma que a maternidade é da Easyjet, que lutou durante três anos para que o que acontece hoje nos Açores fosse uma realidade com o impacto positivo que teve na economia local: o ‘boom’ no turismo e a possibilidade dos açorianos e todos os que querem visitar a Região possam voar com mais frequências”, afirmou.


Esta quinta-feira, a Easyjet apresenta a estratégia da companhia para Portugal: “Uma estratégia de crescimento em Portugal”.


“Nós temos previsto para este inverno continuar a crescer e estimamos crescer cerca de sete por cento no número de lugares oferecidos no país, comparando com o inverno de 2016 vamos ter mais 175 mil lugares à venda, cem mil desses lugares em rotas de e para Lisboa, 42 mil em rotas de e para Faro, 25 mil de e para o Porto e oito mil de e para o Funchal”, anunciou.


Recorde-se que a Easyjet começou a voar para os Açores a 29 de março de 2015, tendo sido a primeira companhia aérea de baixo custo a operar em Ponta Delgada.