Atentados em Istambul afastam visitantes e arruinam indústria turística


 

Lusa/AO online   Internacional   4 de Jul de 2016, 11:25

Uma semana depois do atentado no aeroporto de Istambul, os visitantes estrangeiros parecem ter desertado do principal destino turístico da Turquia, ineditamente calmo neste início de verão, para desespero da indústria do turismo e dos seus profissionais

A magia da maior cidade turca seduz desde há séculos os viajantes, encantados pelos seus palácios imponentes, pelas igrejas e mosteiros, pela vista deslumbrante sobre o Bósforo e o Corno de Ouro.

Para os profissionais do turismo, os atentados suicidas de terça-feira passada parecem assinalar a última estocada na indústria, já de si muito afetada pela série de ataques ocorridos na Turquia desde o início do ano.

“É um desastre”, lamenta Orhan Sonmez, que vive de visitas guiadas a Santa Sofia, um edifício monumental no centro de Istambul, antes uma igreja, depois um mosteiro e hoje um museu.

“Toda a minha vida trabalhei como guia turístico. A maior parte de nós pergunta-se se consegue continuar. É trágico”, acrescenta.

As mesas dos restaurantes estão vazias no bairro turístico de Sultanahmet e os hotéis de cinco estrelas oferecem quartos a preços de saldo.

Nas melhores alturas, Santa Sofia não podia ser vista sem pelo menos uma hora de espera na fila. Hoje, basta comprar o bilhete e deixar-se envolver pelo esplendor do local, com não mais de um punhado de turistas.

Para além disso, muitos residentes de Istambul deixaram a cidade, aproveitando o Bayram, um feriado nacional de nove dias, que começou no sábado, contribuindo para o esvaziamento da metrópole.

Dezanove estrangeiros fazem parte das 45 pessoas mortas na triplo atentado no Aeroporto de Atatürk de Istambul, atribuído ao grupo Estado Islâmico. De acordo com os especialistas, o ataque foi concebido deliberadamente para enfraquecer a Turquia, sabotando a sua indústria turística.

A organização jihadista é também acusada de ter levado a cabo um atentado-suicida em janeiro em Sultanahmet (12 alemães mortos) e um outro em março numa rua de comércio em Istiklal (3 israelitas e um iraniano mortos). No passado dia 11 de junho, um carro armadilhado fez 11 mortos, entre os quais seis polícias, em Beyazit, um bairro histórico de Istambul.

A Turquia registou em maio a mais baixa entrada de turistas em 22 anos, com uma queda de 35 por cento do número de visitantes, correspondente a 2,5 milhões de entradas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.