Açores vão ter novos instrumentos para reforçar empregabilidade

Açores vão ter novos instrumentos para reforçar empregabilidade

 

Lusa / AO online   Regional   16 de Mar de 2017, 21:23

O Governo dos Açores vai criar três novos instrumentos para o reforço da empregabilidade, disse hoje o presidente do executivo regional, considerando que o desafio passa por criar emprego cada vez mais seguro e melhor remunerado.

 

"Posso anunciar que o Governo criará três novos instrumentos de reforço das condições de empregabilidade, bem como da estabilidade de emprego em entidades privadas", afirmou Vasco Cordeiro, no encerramento do debate sobre as propostas de Plano e Orçamento regionais para 2017, na Assembleia Legislativa, na Horta, ilha do Faial.

De acordo com Vasco Cordeiro, uma das iniciativas, Fomento da Integração Laboral e Social, "estabelece o apoio para que os trabalhadores integrados nos programas Recuperar, Prosa, Sei, Berço de Emprego sejam contratados por entidades privadas".

"Em segundo lugar, temos a iniciativa Estabilidade Laboral Permanente, que incide sobre a conversão de contratos inseridos em programas de fomento da empregabilidade que atualmente sejam a prazo, para contratos permanentes, sem termo", referiu, acrescentando a criação de um "estágio profissionalizante, que contribua para inserção no mercado de trabalho dos açorianos que completem a formação de adultos, nomeadamente no âmbito do programa Reativar".

Já no âmbito do empreendedorismo e inovação, o chefe do executivo açoriano destacou a Rede Açoriana de Mentores, "mecanismo de apoio e de aconselhamento aos empreendedores por parte de profissionais de créditos firmados em diversas áreas de atividade", explicou o governante.

Ainda nesta área, Vasco Cordeiro deu conta igualmente da operacionalização do designado Vale Incubação Açores, que "constitui um apoio ao empreendedorismo e às empresas que se instalem em incubadoras de empresas, quer municipais, quer regionais, e que têm um crédito para as despesas inerentes ao início da sua atividade".

Quanto ao setor das pescas, o presidente do Governo dos Açores, reeleito para um segundo mandato em outubro último, após a vitória do PS nas legislativas regionais, adiantou que quer pôr em prática uma experiência-piloto em Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, e em São Mateus, na Terceira, as duas maiores comunidades piscatórias do arquipélago.

"O objetivo é, através da Rede Valorizar, pôr em prática um plano de dupla certificação que permita, simultaneamente, a escolarização dos pescadores e a atribuição da Cédula Marítima", referiu, esclarecendo que "estão igualmente previstas atividades formativas de curta duração para pescadores e armadores que permitam a reciclagem e atualização de conhecimentos".

Ainda nas pescas, Vasco Cordeiro apontou "a entrada em funcionamento do plano de reestruturação deste setor, que, de forma mais direcionada, visa alinhar a estrutura do mesmo com a disponibilidade e sustentabilidade da utilização dos recursos marinhos".

Referindo que se está "sensivelmente a meio do atual período de programação de fundos comunitários", Vasco Cordeiro considerou ser "este o tempo" de se iniciar já a preparação das posições negociais da região "quanto àqueles que devem ser os objetivos e prioridades" do futuro período de programação financeira europeu.

Nesse sentido, informou que no segundo semestre vai promover encontros e a auscultação dos partidos políticos e parceiros sociais para esse trabalho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.