Manifestação

UGT reúne 30 mil manifestantes contra o desemprego e por melhores condições laborais

 UGT reúne 30 mil manifestantes contra o desemprego e por melhores condições laborais

 

Lusa/AO online   Nacional   1 de Mai de 2010, 15:24

Contra o desemprego e pela melhoria das condições laborais, cerca de 30 mil manifestantes afectos à UGT estão a desfilar pela Avenida da Liberdade, em Lisboa, no âmbito das comemorações dos 120 anos do 1º de maio.

"Apesar do que se pensa, em tempos de crise há menor sindicalização, mas este ano contamos com uma grande mobilização", disse à Agência Lusa João Proença, secretário geral da UGT (União Geral dos Trabalhadores). Depois de partir do Marquês de Pombal, a manifestação segue em direção à Praça dos Restauradores, ao som de palavras de ordem como "trabalho sim, desemprego não" e ao ritmo de bombos e de concertinas. No final do desfile, João Proença vai fazer o habitual discurso, que "não será nem a favor, nem contra o governo, mas virado para o país, de combate ao desemprego e pela melhoria da qualidade do emprego porque a crise não pode ser motivo para paralisar a ação", salientou. Com 30 anos, e há 14 a trabalhar na indústria química, Vítor Sampaio participa na manifestação em representação do SINDET (sindicato da indústria química). "Desde que comecei a trabalhar, noto uma degradação das condições de trabalho. Por causa da produtividade não se olha a meios", disse o jovem delegado sindical, que apelou à "sindicalização dos jovens", acrescentando "que novas ideias e novas pessoas podem mudar as coisas". José Batista está na rua em nome do SINDECELCO (sindicato das comunicações e dos media). Apesar de não ter participado na greve dos carteiros dos CTT afetos ao Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações em curso, o delegado sindical não põe de parte vir a fazê-lo caso a administração dos CTT "não der resposta à reivindicação dos trabalhadores até 7 ou 8 de Maio". "Sabemos de empresas que dão prejuízo mas os trabalhadores foram aumentados, enquanto a nossa empresa teve resultados líquidos de 50 milhões de euros e estamos à espera da resposta do ministro da tutela", afirmou. Ao mesmo tempo que acontece o desfile nacional da UGT, a outra central sindical, CGTP, manifesta-se entre a Praça do Martin Moniz e a Alameda, em Lisboa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.