UE e EUA procuram formas de informar sobre ameaças de terrorismo sem alarmismo


 

Lusa/AO online   Internacional   7 de Out de 2010, 18:13

A União Europeia (UE) e os Estados Unidos concordaram esta quinta-feira em encontrar os meios mais adequados para comunicar a existência de ameaças terroristas encontrando "um equilíbrio entre informar os cidadãos e alarmismo desnecessário".
A decisão foi comunicada pela ministra do Interior belga, Annemie Turtelboom, após uma reunião de ministros dos 27, com o coordenador antiterrorista europeu, Gilles de Kerchove, e com a subsecretária de Segurança Nacional norte-americana, Jane Holl.

Num almoço de trabalho, UE e Estados Unidos decidiram procurar uma melhor forma de comunicar os alertas de ameaças à segurança, depois de a representante norte-americana ter justificado que o alerta feito há poucos dias pelos Estados Unidos se deveu à obrigação de manter informados os seus cidadãos.

As autoridades norte-americanas lançaram no passado domingo um alerta de ameaça terrorista pedindo aos seus cidadãos que fossem cautelosos nas viagens para a Europa.

União Europeia e Washington concordaram também em realizar uma vez por ano uma reunião a nível de ministros do Interior para discutir a melhor forma de enfrentar a ameaça terrorista, com a presença da secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.