Trabalhadores da elétrica açoriana querem remuneração complementar criada para a SATA

Trabalhadores da elétrica açoriana querem remuneração complementar criada para a SATA

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Jul de 2014, 12:01

O porta-voz da Comissão de Trabalhadores (CT) da EDA - Eletricidade dos Açores vai reunir com o conselho de administração da empresa para apurar se a remuneração complementar criada para a SATA se estende à elétrica.

Segundo disse António Melo à agência Lusa, o encontro com a administração da elétrica regional deverá ter lugar em setembro, admitindo que a CT poderá depois adotar medidas caso se mantenha a "diferenciação negativa" que considera existir no setor empresarial regional público dos Açores.

O presidente do conselho de administração e a plataforma de sindicatos da SATA assinaram na segunda-feira, em Lisboa, um acordo que contempla a criação de "uma remuneração complementar" para os trabalhadores da transportadora aérea dos Açores.

De acordo com o documento, vai ser “assegurado o pagamento anual de uma remuneração complementar, no exercício anual da empresa, que salvaguarde 100% do valor salarial ilíquido resultante da aplicação dos acordos da empresa, com exceção de automatismos”.

Por outro lado, a 09 de julho, o parlamento dos Açores aprovou por unanimidade o regresso da remuneração complementar dos funcionários públicos regionais, que tinha aumentado este ano, aos valores de 2013, depois do chumbo do Tribunal Constitucional (TC) aos cortes salariais.

O documento aprovado pelos deputados prevê ainda que os trabalhadores do setor empresarial público regional recebam "uma remuneração complementar", que será regulamentada depois pelo executivo.

O vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, assegurou aos deputados da oposição, que consideraram pouco clara esta redação, que o objetivo será compensar os trabalhadores das empresas públicas pelos cortes salariais que forem introduzidos, no caso de a medida também os afetar.

Os trabalhadores da elétrica açoriana suspenderam a 11 de junho uma greve que estavam a realizar às horas extraordinárias e aos feriados na sequência de um processo negocial com a administração da empresa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.