Tempestade de poeira em Marte causa sobreaquecimento da atmosfera do "planeta vermelho"

Tempestade de poeira em Marte causa sobreaquecimento da atmosfera do "planeta vermelho"

 

Lusa/AO online   Internacional   27 de Nov de 2012, 08:40

A NASA observa, desde há duas semanas, uma grande tempestade de poeira em Marte, que produziu sobreaquecimento da sua atmosfera e foi detetada pelo satélite 'MRO' e pelo robô 'Opportunity', noticiou esta terça-feira a agência AFP.

É a primeira vez desde as missões norte-americanas 'Vicking', dos anos 70, que tais tempestades podem ser observadas por um satélite e um engenho em Marte, anunciou, no seu portal, a agência espacial dos Estados Unidos.

Em 2001 e 2007, tempestades de poeiras afetaram grandes áreas do "planeta vermelho", segundo a NASA.

Após décadas de observações, os cientistas sabem que as tempestades ocorrem em certas estações do ano, com a mais recente a ter começado na primavera (Hemisfério Sul).

Instrumentos a bordo do satélite 'MRO' detetaram, a 16 de novembro, um sobreaquecimento da atmosfera a cerca de 25 quilómetros acima da tempestade, com a temperatura a aumentar 25 graus Celsius.

O fenómeno explica-se pela absorção, a esta altitude, do calor dos raios do Sol pela poeira levantada pelo vento.

Um sobreaquecimento foi também registado em latitudes próximas do Polo Norte, devido à circulação atmosférica.

Os instrumentos meteorológicos a bordo do robô 'Opportunity', em Marte desde 2004 e que se encontra a mais de 1.300 quilómetros da tempestade, mediram igualmente a alteração na pressão atmosférica, adiantou a NASA.

Se a tempestade continuar a expandir-se, o Opportunity poderá ser afetado, uma vez que depende do Sol para produzir energia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.