PSP

SINAPOL exige que polícias recebam juros do extinto fundo de fardamento


 

Lusa/AO online   Nacional   27 de Out de 2011, 19:04

O presidente do Sindicato Nacional de Polícia (SINAPOL) exigiu em tribunal que o Ministério da Administração Interna pague aos polícias os montantes em dívida do extinto fundo de fardamento e a totalidade dos juros de mora.
A primeira audiência da acção interposta pelo SINAPOL decorreu hoje no Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, tendo o Ministério da Administração Interna (MAI) proposto o pagamento do montante em dívida aos polícias.

O presidente do SINAPOL, Armando Ferreira, disse à agência Lusa que não aceita tal acordo, exigindo que sejam pagos os respectivos juros de mora, que já são superiores a 120 mil euros.

Com a entrada em vigor do novo estatuto profissional da PSP, em Janeiro de 2010, o fundo de fardamento foi extinto e substituído por um novo, mas, segundo o SINAPOL, 7.500 polícias ficaram credores.

Cada polícia recebia cinco euros mensais que eram depositados no fundo de fardamento, em que cada agente tinha uma conta. Quando adquiria peças de fardamento era debitado o valor da compra nessa conta. Se o valor fosse insuficiente, o polícia ficava a dever.

Entretanto, o MAI anunciou que vai começar a devolver aos polícias, no final deste mês, o dinheiro que descontaram para o extinto fundo de fardamento, num total de cerca de 1,3 milhões de euros, estimando que o processo esteja concluído no final do ano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.