PSD pede explicações ao Governo dos Açores sobre barcos novos e acidentes no Pico

PSD pede explicações ao Governo dos Açores sobre barcos novos e acidentes no Pico

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Abr de 2015, 14:45

O PSD pediu hoje ao Governo dos Açores para explicar porque insiste em construir dois barcos contra todas as opiniões e condenou o silêncio do executivo em relação aos acidentes nos portos do Pico, em que morreu uma pessoa.

"Confirma-se que este governo foge por todos os meios e de todas as formas a explicar aos açorianos o que se tem passado nos portos do triângulo [ilhas do Faial, Pico e S. Jorge]. Assim como foge todos os dias de explicar aos açorianos por que é que vai construir dois navios contra todas as opiniões", disse o deputado do PSD Cláudio Lopes, durante uma declaração no parlamento dos Açores.

O executivo regional tem de explicar porque recusa "mostrar os estudos que diz ter" para justificar a construção dos barcos e o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, tem de dizer porque "vai meter-se nesse buraco" depois de ter sido eleito, em 2012, "a prometer não construir barcos", disse ainda o deputado do PSD.

Na mesma declaração, Cláudio Lopes afirmou, ainda, que "não pode ser tolerado" o silêncio do executivo regional em relação aos acidentes e problemas ocorridos em dois portos do Pico há cinco meses, quando rebentaram cabeços de amarração durante a atracagem de barcos, tendo num dos casos morrido uma pessoa.

"O silêncio do Governo Regional não pode ser tolerado porque ele é, em primeiro lugar, sinónimo de um profundo desprezo pelos açorianos. Os açorianos querem saber, de uma vez por todas, se é verdade que a obra do Terminal Marítimo da Madalena foi inaugurada [em outubro do ano passado] sem que estivessem feitas todas as certificações, nomeadamente dos cabeços de amarração", disse o deputado.

Para o PSD, os governantes dos Açores não podem "chegar-se à frente para discursar e tirar fotografias nas inaugurações e depois esconderem-se quando é para assumir responsabilidades" ou "pavonear-se falando em revoluções tranquilas nos transportes marítimos para depois calarem quando têm de explicar os erros e os problemas".

No debate que se seguiu, nem a bancada do PS nem o Governo Regional se referiram às questões dos barcos novos ou dos problemas nos portos do Pico, preferindo contestar outra parte da intervenção de Cláudio Lopes, em que o PSD voltou a dizer que o resultado da governação socialista dos Açores são os "piores indicadores sociais" do país.

O deputado do PS Francisco César destacou as medidas tomadas pelo atual Governo Regional para mitigar os efeitos do "enorme aumento de austeridade" imposto pelo executivo nacional PSD/CDS-PP e considerou que há já resultados positivos desse esforço ao nível do desemprego ou da atividade económica. E elogiou o "trabalho feito" nas últimas décadas pelos socialistas nos Açores também na área da educação e dos apoios sociais, manifestando "orgulho" nos resultados.

Também o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, considerou que "os factos" destroem "o argumentário do PSD" em relação aos resultados da governação da região, destacando os mesmos dados de Francisco César.

O PCP disse que a crise e a "tragédia social" que atinge o país e os Açores são responsabilidade do PS, PSD e CDS-PP, que assinaram o acordo da 'troika'.

Já o PPM e o CDS-PP centraram-se na questão dos transportes marítimos. O deputado monárquico, Paulo Estêvão, considerou que se está a preparar uma "catástrofe" na região com a compra de dois barcos para o transporte de passageiros. E a deputada do CDS Graça Silveira considerou "ensurdecedor" o silêncio do executivo regional sobre os acidentes no Pico, sublinhando que têm de ser assumidas as "responsabilidade políticas" pelo que aconteceu.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.