PSD denuncia "desmantelamento progressivo" da Saúde no concelho da Ribeira Grande

PSD denuncia "desmantelamento progressivo" da Saúde no concelho da Ribeira Grande

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Out de 2014, 15:21

O PSD denunciou hoje o "desmantelamento progressivo" a que o Governo Regional dos Açores votou o Centro de Saúde da Ribeira Grande, alertando que os "bons cuidados prestados" à população estão a "esfumar-se".

“O PSD está preocupado com a situação de desmantelamento progressivo a que o Centro de Saúde da Ribeira Grande tem sido votado”, afirmou Luís Maurício, deputado no parlamento dos Açores, revelando que 60% da população no concelho não tem médico de família e dos 22 médicos que precisava para responder às necessidades tem apenas oito em atividade.

O social-democrata falava aos jornalistas à entrada do Centro de Saúde da Ribeira Grande, porque, segundo Luís Maurício, a Unidade de Saúde de ilha “mostrou-se sempre indisponível” para receber os deputados regionais do PSD eleitos por S. Miguel desde 08 de outubro, apesar de terem sido propostas três datas, algo que classificou de “atentado grave ao direito dos deputados de fiscalizar”.

Além da falta de médicos de família nos postos de saúde dos Fenais da Ajuda, Lomba da Maia e Pico da Pedra, revelou que há lista de espera para as consultas abertas, feitas fora do horário normal para pacientes sem médico de família e que os sinais de desmantelamento da prestação de cuidados de saúde no concelho são mais vastos.

“Não se compreende que haja listas de espera para a realização de ecografias ou mamografias quando o centro de saúde tem um ecógrafo e um mamógrafo que não é utilizado. Já teve em tempos um médico radiologista contratado e que prestava cuidados à população da Ribeira Grande nessa área”, disse Luís Maurício, acrescentando que o equipamento de raio x só funciona até às 16:00 e que depois desse horário os utentes são encaminhados para o hospital, em Ponta Delgada.

Luís Maurício denunciou, ainda, que desde 2013 o Centro de Saúde deixou de efetuar pequenas cirurgias, que eram feitas numa sala “com todas as condições”, que se pretende transformar as análises clínicas num posto de colheita e que o posto de saúde da Rabo de Peixe continua sem serviço de saúde oral, apesar da cadeira oferecida pela autarquia, avariada desde dezembro de 2013, ter sido reparada há uma semana.

“O Governo [Regional] e a administração na área da saúde está a acabar com o resto que funcionava bem no Centro de Saúde da Ribeira Grande. O que eram bons cuidados prestados à população está a esfumar-se e a deixar os cidadãos da Ribeira Grande estregues ao seu destino no que aos cuidados de saúde diz respeito”, afirmou Luís Maurício, lembrando que as decisões no setor são da inteira responsabilidade do presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, do secretário regional da Saúde, Luís Cabral e do PS/Açores, pelo que nada têm a ver com a República.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.