Oscar Pistorius condenado a cinco anos de prisão pelo assassínio da namorada

Oscar Pistorius condenado a cinco anos de prisão pelo assassínio da namorada

 

Lusa/AO Online   Internacional   21 de Out de 2014, 13:43

O atleta sul-africano Oscar Pistorius foi hoje condenado a cinco anos de prisão pelo assassínio da sua namorada, Reeva Steenkamp, em fevereiro de 2013, de acordo com a sentença da juíza Thokozile Masipa.

O acusado “é condenado a uma pena máxima de cinco anos de prisão”, declarou a juíza, lembrando que Pistorius foi considerado culpado de homicídio involuntário.

No dia 12 deste mês, o campeão paraolímpico Oscar Pistorius, de 27 anos, foi considerado culpado do homicídio involuntário da sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, 29 anos, abatida a tiro no dia 14 de fevereiro de 2013.

A juíza Thokozile Masipa ilibou o atleta da acusação de homicídio premeditado, tendo considerado provado que Pistorius disparou intencionalmente através da porta da casa de banho da sua habitação em Pretória, mas sem a intenção de matar a pessoa que se encontrava no local.

Pistorius foi ainda condenado a três anos com pena suspensa numa outra acusação de ofensa com arma de fogo.

A magistrada chegou a este veredito depois de ter em conta a gravidade do delito e, também, a personalidade e a incapacidade do acusado.

“A pena sem prisão iria enviar uma mensagem errada à sociedade, mas uma longa pena de prisão não seria também apropriada”, disse a juíza.

“Seria um dia triste para o país se fosse criada a impressão de que havia uma lei para os pobres e desfavorecidos e outra para os ricos e famosos", disse Masipa.

Falando sobre o crime, Thokozile Masipa disse que Pistorius havia sido responsável por “negligência grosseira”.

"Usando uma arma letal, uma arma de fogo carregada, o acusado disparou não um, mas quatro tiros contra a porta (da casa de banho)”, disse a magistrada.

"A casa de banho era um pequeno cubículo e não havia espaço de fuga para a pessoa atrás da porta", disse Thokozile Masipa.

A juíza também fez considerações sobre a capacidade de Pistorius lidar com a prisão devido à sua deficiência física.

"Sim, o acusado é vulnerável, mas também tem excelentes habilidades para enfrentar as situações", disse a magistrada.

O Ministério Público havia pedido 10 anos de prisão e a defesa do atleta prisão domiciliária e serviço comunitário.

O atleta Oscar Pistorius, que não tem as duas pernas e usava próteses nas suas provas, era um ídolo, não só na África do Sul, mas também um exemplo de perseverança e força de vontade para o mundo.

O atleta, conhecido como “Blade Runner” e já medalhado nas provas paraolímpicas, conseguiu competir entre atletas sem deficiências físicas nas Olimpíadas de Londres de 2012.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.