Ministra da Administração Interna admite criar horário de trabalho na GNR


 

Lusa/AO Online   Economia   3 de Mar de 2016, 06:55

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, admitiu criar um horário de trabalho de referência na Guarda Nacional Republicana, uma das principais reivindicações dos militares da corporação.

 

“No âmbito da negociação do estatuto, ainda estou a fazer uma ponderação se não hei de regulamentar, antes, a legislação anterior, e fixar um horário de referência para a GNR”, disse Constança Urbano de Sousa, no parlamento, onde está a ser ouvida no âmbito da discussão da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2016.

A criação de um horário de trabalho de referência para a GNR é uma questão “particularmente sensível” para a ministra.

“É um estatuto que vai ter de ser também negociado com outros setores, nomeadamente com a Defesa. Portanto, terei de ter alguma prudência, mas sou sensível a essa questão”, sustentou a ministra.

Constança Urbano de Sousa adiantou que está previsto para este ano a aprovação de um novo estatuto profissional da GNR, que terá que ser negociado no seio do Governo.

No entanto, adiantou que existem duas questões sensíveis: a criação de um horário de trabalho de referência e a promoção na carreira até ao topo dos oficiais da GNR.

A criação de um horário de trabalho de referência para os militares da GNR é uma das principais reivindicações das associações socioprofissionais, estando prevista no estatuto profissional de 2009, mas nunca chegou a ser regulamentada.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.