Lajes: Portugal e EUA defendem ações para "resolver assuntos pendentes"

Lajes: Portugal e EUA defendem ações para "resolver assuntos pendentes"

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Dez de 2017, 16:57

Portugal e Estados Unidos sublinharam a importância de desenvolver “ações concretas” para “resolver os assuntos pendentes” na base das Lajes, Açores, na reunião da comissão bilateral permanente que decorreu esta quinta-feira, anunciou hoje o Governo português.


A 38.ª reunião bilateral, que decorreu esta quinta-feira em Lisboa, foi dominada pelo tema das Lajes, tendo sido “analisadas, muito em particular, as questões laborais, a situação das infraestruturas de uso exclusivo dos EUA e os problemas ambientais decorrentes da presença militar norte-americana na ilha Terceira”, divulgou hoje o executivo, através de um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

“Ambos os lados reafirmaram a importância de uma abordagem construtiva e positiva na avaliação destas matérias, pautada por ações concretas, continuadas e visíveis, e sobretudo com o claro objetivo de resolver os assuntos pendentes”, afirma o Governo português.

Durante a reunião, Lisboa e Washington assinaram “um acordo bilateral sobre assuntos consulares”, algo inédito numa comissão bilateral permanente, segundo o executivo..

As duas partes abordaram “com profundidade outras vertentes importantes” do relacionamento bilateral, como a segurança e defesa, cooperação no domínio dos oceanos, comércio e investimento e energia.

Além disso, Portugal e EUA analisaram potenciais parcerias em áreas como o Gás Natural Liquefeito (GNL), a economia do mar, a cultura e a colaboração científica e académica nos domínios da ciência e tecnologia, do meio ambiente e da cooperação nas áreas da justiça e dos assuntos internos.

“Foram igualmente analisados os principais assuntos da agenda internacional com particular interesse para os dois países, nomeadamente as questões de segurança e defesa e as medidas desenvolvidas no quadro da luta contra o terrorismo”, afirma a nota do MNE.

O Governo afirma que “o momento foi aproveitado para aprofundar a preparação do mês de Portugal nos EUA em junho de 2018”, para quando está prevista uma visita do Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, àquele país.

Segundo o MNE, a reunião desta quinta-feira – uma das duas que os dois países realizam, habitualmente, por ano – foi “um momento relevante no estreito relacionamento bilateral entre Portugal e os Estados Unidos, que é um aliado estratégico de Portugal e atualmente o maior parceiro económico fora da União Europeia”.

No final dos trabalhos, foi aprovada uma declaração conjunta ilustrativa do “caráter positivo e produtivo” desta 38.ª sessão.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.