Evacuação médica de mestre de embarcação de pesca


 

Ana Carvalho Melo   Regional   29 de Abr de 2015, 19:08

O Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada), em articulação com a Força Aérea Portuguesa, coordenou, durante a tarde de terça-feira, a operação de evacuação médica do mestre da embarcação nacional Anacleto António que sofreu um acidente a bordo.

 

O homem de 56 anos sofreu um acidente a bordo que provocou o esmagamento de um dedo da mão direita.

Segundo nota enviada à comunicação social, a embarcação navegava a cerca de 290 milhas náuticas (537 quilómetros) a oeste da ilha Terceira.

O pedido de auxílio foi recebido neste Centro de Busca e Salvamento Marítimo ao final da manhã de terça-feira, tendo contactado de imediato o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODUMAR) do INEM, que, após contacto com o Mestre da embarcação, identificou a necessidade de evacuação urgente do tripulante.

O MRCC Delgada solicitou ao Centro de Busca e Salvamento Aéreo das Lajes (RCC Lajes) o empenhamento dos meios aéreos da Força Aérea e a condução das operações de evacuação do doente. Para o efeito foram empenhados um helicóptero EH-101 Merlin e um avião C295, ambos destacados na Base Aérea n.º 4, nas Lajes.

Às 13:40 horas, o EH-101 Merlin descolou da Base Aérea N.º 4 - Lajes, com uma equipa médica militar a bordo, rumo ao navio. Devido à distância seguiu também para o local uma aeronave C-295 para realizar a deteção inicial da embarcação e acompanhar e apoiar as comunicações entre o helicóptero, o navio e os Centros de Busca e Salvamento envolvidos.

A extração do acidentado foi executada com sucesso às 15:35 horas, tendo o helicóptero seguido rumo ao Aeroporto de Ponta Delgada, onde foi efetuada a transferência do doente para uma ambulância destacada pelo Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), que o transportou ao serviço de urgência do Hospital daquela cidade.

As condições meteorológicas na zona de operações eram de vento fraco do quadrante norte e ondulação de 1,5 a 2 metros.

Foi, deste modo, realizada com sucesso, mais uma missão de salvaguarda da vida humana, pela Marinha e pela Força Aérea, com uma duração de cerca de oito horas e com recurso a vários meios.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.