Europa estará por sua conta nos próximos anos e isso pode ser bom

Europa estará por sua conta nos próximos anos e isso pode ser bom

 

Lusa/Açoriano Oriental   Economia   26 de Jan de 2017, 17:03

O presidente do Eurogrupo afirmou, em Bruxelas, que, à luz da eleição de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos, a Europa estará entregue a si própria nos próximos anos, algo que "se calhar é bom".

À entrada para uma reunião de ministros das Finanças da Zona Euro, Jeroen Dijsselbloem também desvalorizou as declarações do provável futuro embaixador dos Estados Unidos junto da UE, Ted Malloch, que, numa entrevista concedida na véspera, vaticinou que a moeda única colapsará nos próximos 18 meses, previsão que o presidente do Eurogrupo disse já estar habituado a ouvir há anos.

“Sim, sim, tenho ouvido essas previsões há já quatro anos. Não estou no ramo das previsões, não sou feiticeiro, não tenho uma bola de cristal. Tudo o que sei é que temos que trabalhar para tornar a nossa união monetária mais forte, e é isso que temos feito nos últimos quatro anos. Por isso, boa sorte ao novo embaixador, se realmente o for, e nós vamos continuar o nosso trabalho”, declarou.

Questionado sobre se as declarações de Malloch – que terá sido a escolha de Trump para representar os EUA em Bruxelas – reforçam a sua convicção de que a Europa está “por sua conta”, uma ideia que expressou num discurso esta semana, Dijsselbloem disse acreditar que sim, acrescentando que encara esse cenário como uma oportunidade.

“Já me consciencializei de que nos próximos anos estaremos por nossa conta, e se calhar isso é bom, talvez seja disso que a Europa precisa para trabalhar realmente em conjunto, de uma forma melhor e mais produtiva, para resolver os seus problemas”, afirmou o político holandês.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.