Damasco exige retirada das forças turcas de Idlib


 

Lusa/AO online   Internacional   14 de Out de 2017, 17:03

As autoridades sírias exigiram a saída “de maneira imediata” das forças turcas destacadas em Idlib, no noroeste da Síria, dois dias depois de um contingente militar turco ter sido destacado para monitorizar um cessar-fogo.


Num comunicado citado pela agência oficial síria, o Ministério dos Negócios Estrangeiros sírio afirmou que a ação das unidades turcas “é uma clara agressão” que “o regime turco não pode justificar”.

“Condenamos nos termos mais enérgicos” a incursão das unidades turcas na província de Idlib.

A Turquia justificou o destacamento com a necessidade de instalar “postos de observação”, no âmbito do acordo alcançado em maio para a criação de “zonas de redução da tensão” para permitir a declaração de tréguas.

O acordo, concluído entre a Turquia, que apoia os rebeldes, e a Rússia e o Irão, aliados do regime sírio, prevê quatro “zonas de redução da tensão”: Idlib, Ghuta, perto de Damasco, Homs (centro) e Sul.

“Esta agressão turca não tem nada a ver, nem de perto nem de longe, com os acordos” sobre zonas seguras e constitui “mesmo uma violação desses acordos”, afirmou o regime.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.