China envia especialistas para Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa


 

AO/Lusa   Internacional   10 de Ago de 2014, 11:14

A China anunciou domingo o envio de três equipas de especialistas para a Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa para ajudar a combater o vírus do Ébola, que já fez 961 mortos na África Ocidental.

 

Cada equipa é constituída por um epidemiologista e dois especialistas em desinfeção e prevenção, indicou a Comissão Nacional de Planificação de Saúde e Família chinesa, citada pela agência Xinhua.

É a primeira vez que a China oferece assistência a países estrangeiros em resposta a uma emergência de saúde pública, segundo o diretor do Centro de Controlo de Doenças chinês, Wang Yu.

À Xinhua, Wang afirmou que os países da África Ocidental enfrentam uma severa escassez de medicamentos e de conhecimentos em matéria de prevenção de doenças, necessitando urgentemente de material e experiência do estrangeiro para travar o surto.

Os especialistas chineses vão dar formação sobre proteção pessoal, desinfeção e segurança biológica, além de gerirem os materiais enviados da China.

A iniciativa chinesa é uma resposta ao alerta de emergência de saúde pública lançado na sexta-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Quatro países da África ocidental – Serra Leoa, Guiné-Conacri, Libéria e Nigéria - enfrentam o pior surto de Ébola das últimas quatro décadas. Desde fevereiro, o vírus infetou mais de 1.700 pessoas nestes países, segundo a OMS.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.