Avelino Meneses rejeita ampliar escola no Corvo

 Avelino Meneses rejeita ampliar escola no Corvo

 

Lusa/AO online   Regional   14 de Out de 2014, 17:40

O secretário da Educação rejeitou ampliar a Escola Mouzinho da Silveira, no Corvo, um pedido feito pelo líder do Partido Popular Monárquico (PPM), alegando ser necessário "ter muito respeito pelos contribuintes".

 

“Eu creio que nós necessitamos de ter muito respeito pelos contribuintes. Todos nós. Inclusivamente pelos contribuintes do Corvo”, afirmou aos jornalistas Avelino Meneses, à margem de uma visita ao Núcleo de Santa Bárbara do Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada.

A 09 de outubro, o líder do Partido Popular Monárquico (PPM) e deputado à Assembleia Legislativa dos Açores, Paulo Estêvão, exigiu, numa conferência de imprensa, que o Governo Regional proceda, de forma "urgente", à ampliação da Escola Mouzinho da Silveira, no Corvo, por entender que o número de salas de aula disponibilizadas na escola da mais pequena ilha dos Açores "não será suficiente" no próximo ano letivo, devido ao "previsível aumento do número de turmas".

Hoje, Avelino Meneses disse que, neste momento, há apenas dois alunos no 11.º ano, sendo que no próximo ano poderá haver dois, um ou nenhum aluno no 12.º ano.

Para o governante açoriano “haverá, certamente, muitas soluções a encontrar para albergar dois, um ou nenhum estudante” no próximo ano letivo.

Paulo Estêvão adiantou na conferência de imprensa que na Escola Mouzinho da Silveira estão matriculados, atualmente, 47 alunos, divididos por 11 turmas, embora existam apenas seis salas de aula.

"No próximo ano letivo serão 13 as turmas existentes naquele estabelecimento e a situação irá certamente agravar-se", alertou Paulo Estêvão, que entende ser necessária a construção de, pelo menos, mais três salas de aula.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.