Alargamento de prazos de linha de crédito ao investimento pode salvar empregos


 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Jun de 2010, 12:16

A associação de hotelaria e restauração AHRESP considerou hoje que a decisão do Governo açoriano de alargar os períodos de carência e pagamento da linha de crédito “Açores Investe” pode contribuir para a qualidade de serviços e salvaguarda de empregos.

Numa nota em que refere ter recebido a indicação do chefe do Executivo regional de acolhimento de uma sua proposta nesse sentido, a AHRESP acrescenta que o alargamento do prazo para liquidação de compromissos assumidos no quadro da “Açores INVESTE” vai “beneficiar em muito as micro e pequenas empresas da região”.

Segundo refere, o Governo Regional já fez seguir para a banca e sociedade de garantia mútua uma proposta de alteração ao protocolo de criação da linha de crédito em que se prevê o alargamento do período de carência em mais um ano e do prazo de amortização do financiamento em dois.

A medida pode traduzir-se na “manutenção da qualidade dos produtos e serviços turístico” e na salvaguarda de postos de trabalho, ameaçados pelas “grandes dificuldades enfrentadas” pelo sector, sustenta a AHRESP.

Dotada de 40 milhões de euros, a “Açores INVESTE” permite o aval público, através da participação numa sociedade de garantia mútua, até 75 por cento do financiamento concedido a empresas com menos de 50 trabalhadores e até 50 por cento dos empréstimos assumidos por companhias de média dimensão.

Permite, igualmente, a bonificação das taxas de juros, sendo aplicada às micro e pequenas empresas uma taxa bonificada no valor integral do valor integral do spread e às médias empresas uma bonificação de 50 e 70 por cento do montante do spread suportado.

Os limites do crédito previstos variam entre os 25 mil e os 150 mil euros, conforme a dimensão das empresas.

O setor do turismo é um dos que, nos Açores, mais se tem ressentido com a crise económica, registando quebras durante os últimos dois anos.

Segundo as estatísticas oficiais, o total de dormidas na hotelaria açoriana registou uma quebra de 8,3 por cento nos primeiros três meses deste ano, face ao período homólogo de 2009, verificando-se uma quebra nas receitas de 7,3 por cento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.