Violência no namoro discutida com jovens portugueses no Parlamento Europeu

Violência no namoro discutida com jovens portugueses no Parlamento Europeu

 

Lusa/AO online   Nacional   15 de Abr de 2015, 15:07

Estudantes portugueses discutiram no Parlamento Europeu, em Bruxelas, a violência doméstica e a necessidade de combater este flagelo, a começar pelas relações de namoro na juventude.

 

‘A Herança do Silêncio', de José Meireles, foi hoje transmitido no Parlamento Europeu, tendo-se seguido um debate entre o realizador e os jovens do Agrupamento de Escolas D. Dinis, de Lisboa.

O filme, que retrata casos de violência entre casais adultos e de controlo em relações de namoro entre jovens, foi o mote para uma reflexão em que o realizador falou de relações em que "o controlo se sobrepõe ao amor", de "situações de guerra dentro do que deviam ser relações de harmonia e amor" e da necessidade de "desmontar estereótipos da masculinidade e feminilidade"

Os alunos fizeram várias intervenções, nomeadamente sobre a questão de se considerar os autores da violência domésticas pessoas com problemas psiquiátricos, o que poderá levar a ver atenuadas as suas penas.

José Meireles concordou e disse que para combater este problema se tem de começar a trabalhar contra isso desde cedo, logo em crianças.

"Não faz sentido continuar a fabricar agressores para depois curar as vítimas porque nunca curaremos todas. É preciso educação de base e não faremos grande coisa enquanto em Portugal educadores infância ou professores do ensino básico não tiverem formação em igualdade de género", defendeu o autor do filme.

Estudos indicam que um em cada quatro jovens é vítima de violência no namoro. O ano passado, as queixas na PSP relacionadas com situações de violência no namoro aumentaram quase 50 por cento face ao ano anterior, para 1.549 participações.

Segundo a Polícia, a violência no namoro praticada entre os jovens assume, tal como nos adultos, as vertentes físicas e psicológicas, mas evidencia-se "particularmente na violência social".

No final da sessão de duas horas, organizada pelos deputados do PCP no Parlamento Europeu, o realizador deixou o desafio aos alunos de criarem um movimento contra a violência no namoro, a começar por uma página do facebook e que evoluísse para um manifesto a ser entregue na Assembleia da República defendendo a criação do Dia Nacional Contra a Violência do Namoro.

A proposta mereceu aplausos das dezenas de alunos que estavam presentes na sala.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.