Vinho certificado aumentou de 15 mil para 250 mil litros em mais de uma década

Vinho certificado aumentou de 15 mil para 250 mil litros em mais de uma década

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   13 de Dez de 2016, 17:39

A produção de vinho certificado nos Açores aumentou de 15 mil litros em 2004 para 250 mil em 2016, disse o presidente da Comissão Vitivinícola Regional (CVR-Açores).

 

"Em 2004 apenas duas marcas comerciais de vinho eram certificadas, o Lajido, do Pico, e Pedras Brancas, da Graciosa, e o volume era apenas de 15 mil litros. Neste momento, o número de agentes económicos aumentou muito com o crescimento da área de vinha plantada e temos cerca de 250 mil litros de vinho certificado por ano", declarou Vasco Paulos.

A CVR-Açores foi constituída em 1995 com o objetivo de "garantir a genuinidade e a qualidade dos vinhos", promover o seu controlo, como definir o seu processo produtivo e assegurar a sua defesa.

Vasco Paulos adiantou que, atualmente, na região, existem 12 agentes económicos que representam individualmente várias marcas, tendo exemplificado com a adega da Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, que possui quatro vinhos certificados.

O presidente da CVR-Açores está convicto de que o volume de 250 mil litros da produção de vinho certificado venha a aumentar face ao processo de reconversão da vinha nos Açores, através dos novos projetos VITIS (Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão de Vinhas).

"Se falarmos só no número de projetos VITIS que deram entrada até ao final do ano (170), a área de vinha ocupada com castas aptas à produção de vinhos DOC vai ultrapassar os 800 hectares na região, quando, ainda há bem pouco tempo, eram de apenas 130", destacou.

Segundo o responsável, para ser certificado o vinho tem que preencher determinados requisitos, como uma quantidade mínima de volume e castas autorizadas pela legislação em vigor.

Vasco Paulos explicou que se o produto preencher os requisitos necessários é posteriormente submetido à CVR-Açores, que procede a uma análise laboratorial para "assegurar que os parâmetros analíticos são legais".

O presidente da CVR-Açores acrescentou que há ainda uma outra análise, sensorial, assegurada pela câmara de provadores, que posteriormente atribui uma pontuação ao produto, sendo que só depois desta fase o vinho fica apto para ir para o mercado com o selo de certificação.

De acordo com Vasco Paulos, nos Açores existem atualmente 38 marcas de vinho certificado, várias centenas de produtores individuais e três zonas demarcadas: Biscoitos (Terceira), Graciosa e Pico.

Existe ainda a Indicação Geográfica Protegida - Açores para os vinhos de qualidade brancos e tintos, que satisfaçam as condições de produção fixadas. Em alternativa, os vinhos podem usar a menção Vinho Regional Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.