Vila da Madalena, na ilha do Pico, passa a ter roteiro de murais de arte pública


 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Jul de 2014, 13:48

O concelho da Madalena, na ilha do Pico, conta a partir desta terça-feira com um "Roteiro dos Murais", que consta de um conjunto de obras de arte pública criadas no âmbito do festival Azores Fringe.

 

“O Roteiro dos Murais é mais uma ferramenta para ajudar a promover o que temos na vila da Madalena do Pico e nos Açores”, declarou à agência Lusa Terry Costa, diretor-artístico da entidade promotora do evento, a associação MiratecArts.

A iniciativa, que contempla oito murais, conta com o apoio, entre outras entidades, da Secretaria de Estado das Comunidades, Direção Regional do Turismo, Câmara Municipal da Madalena e Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico.

Terry Costa considera que esta é uma maneira “mais interessante” de desfrutar da ilha do Pico e dos Açores, através da arte, convidando as pessoas a caminharem cerca de uma hora e meia pelos murais públicos que resultaram das primeiras duas edições do Azores Fringe (um festival de artes).

Mais de 200 artistas oriundos de 30 países participaram este ano no Azores Fringe, que decorreu em seis ilhas dos Açores de 1 a 30 de junho, segundo a organização do evento.

Terry Costa explicou que os autores destes painéis de arte pública são artistas internacionais como a uruguaia Rocio Matosas e o luso-francês Carlos Farinha.

Há também paineis criados por açorianos, como o artista Luís Brum, que fez dois murais, e o picoense (natural da ilha do Pico) Djervy.

“Temos artistas de vários estilos e formas de trabalhar e, é claro, de várias origens, desde o regional ao internacional”, declarou Terry Costa.

O responsável pela MiratecArts referiu que as últimas adições foram a fachada da Adega Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, onde Djervy realizou cinco painéis de arte alusiva à vitivinicultura, e a obra de Rocio Matosas, que desenvolveu o tema "Baco" nas paredes exteriores do Estádio Municipal da Madalena.

Djervy já tinha realizado uma grande obra em 2013 no Parque de Campismo, assim como Carlos Farinha, que também tem duas obras no Jardim dos Maroiços, uma do ano passado e outra de 2014.

Luís Brum, por seu turno, tem como mais recente obra a fachada do Museu de Cachalotes e Lulas.

Um trabalho realizado por Inês Ribeiro com deficientes do Centro de Atividades Ocupacionais da Santa Casa da Misericórdia da Madalena do Pico, homenageando os barcos da ilha, também integra o roteiro.

O roteiro e informações sobre os artistas estão disponíveis na página na internet da MiratecArts (www.mirateca.com).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.