Vice-presidente da Ongoing soube do plano da PT a 25 de Junho


 

Lusa/AO Online   Nacional   21 de Abr de 2010, 19:46

O vice-presidente da Ongoing e administrador da Portugal Telecom (PT), Rafael Mora, garantiu hoje ter tido conhecimento oficial do plano da empresa de telecomunicações para entrar no capital da TVI a 25 de Junho, durante a reunião do conselho de administração da empresa.

"Tomei conhecimento oficialmente no dia 25 de Junho na reunião do conselho de administração e a 23 de Junho através do comunicado da empresa à CMVM", disse hoje Rafel Mora na comissão parlamentar de inquérito à atuação do Governo na tentativa de compra da TVI.

O vice-presidente da Ongoing, empresa que detém uma participação na PT e que tentou comprar parte da Media Capital após a desistência da empresa de telecomunicações, explicou aos deputados que durante a reunião foi esclarecido "o porquê do comunicado enviado dois dias antes à CMVM".

Rafael Mora acrescentou ainda que durante a reunião foi abordada a ida do presidente executivo da empresa, Zeinal Bava, à RTP para uma entrevista em que iria "esclarecer que negócio era este".

No entanto, Rafael Mora referiu que já a 19 de Junho tinha ouvido "rumores" sobre o interesse da PT em entrar no capital da Media Capital, quando abordou o eventual interesse da Ongoing na empresa com José Eduardo Moniz.

"Moniz disse-me que podíamos chegar tarde, pois tinha ouvido rumores que a PT estava a negociar a entrada na Media Capital. Deixou-me surpreendido pois não ouvi nenhum rumor nos corredores da PT", afirmou, acrescentando ter depois questionado Henrique Granadeiro, que lhe disse "nada saber".

Rafael Mora reuniu-se com Moniz a 19 de Junho para começar a negociar a contratação do ex-director geral da TVI pela Ongoing.

Hoje de manhã foi ouvido na comissão de inquérito o ex-assessor da PT, Paulo Penedos.

Criada por requerimento potestativo do PSD e do BE, a comissão tem como objeto "apurar se o Governo, direta ou indiretamente, interveio na operação conducente à compra da TVI e, se o fez, de que modo e com que objetivos".

Além disso, a comissão visa "apurar se o primeiro ministro disse a verdade ao Parlamento, na sessão plenária de 24 de junho de 2009", quando referiu que não tinha sido informado sobre o plano.

Para analisar estas questões, os deputados querem ouvir 21 figuras. O primeiro ministro será o último a ouvir e através de depoimento escrito.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.