Vasco Cordeiro saúda "salto gigantesco" na mudança de que o país precisa

Vasco Cordeiro saúda "salto gigantesco" na mudança de que o país precisa

 

Lusa/AO Online   Regional   29 de Set de 2014, 07:31

O presidente do PS/Açores considerou hoje a "grande vitória" de António Costa nas primárias do PS um "salto gigantesco" na mudança que o país necessita e acusou a candidatura de António José Seguro de "insultar" todos os socialistas açorianos.

A vitória de Costa é, para Vasco Cordeiro, “seguramente, um importante passo na vida do PS, mas é um salto gigantesco” na “mudança” de que Portugal precisa.

“É um salto gigantesco que o nosso país hoje iniciou e que trilhará seguramente no futuro”, sublinhou o também presidente do Governo Regional dos Açores e apoiante de Costa nestas primárias, em declarações em Ponta Delgada.

Em resposta a questões dos jornalistas, Vasco Cordeiro disse, por outro lado, não ver “razão nenhuma” para o partido não estar unido após estas primárias.

“Não há razão nenhuma para que isso não aconteça. Este foi um momento na vida do partido. Amanhã é outro dia, de nos concentrarmos em exclusivo nesta necessidade de mobilizar Portugal e os portugueses, e também os açorianos, para essa mudança que o país necessita”, afirmou.

Vasco Cordeiro, sublinhando que falava na qualidade de presidente do PS/Açores e não como apoiante de Costa, salientou, por outro lado, “a importância” destas primárias para “o fortalecimento da democracia” e “a chamada à participação daqueles que não sendo militantes do PS” entendem que os partidos “são a via para a participação política e para a afirmação da sua posição e da sua opinião”.

De novo insistindo em que falava como “presidente dos socialistas açorianos”, quis ainda pronunciar-se sobre o envio para os Açores, pela candidatura do até hoje secretário-geral do PS, António José Seguro, de apoiantes "de Lisboa" para estarem nas mesas de voto de diversas ilhas.

“Constitui um insulto aos socialistas açorianos e em especial àqueles que são apoiantes de António José Seguro o facto de se ter achado necessário mandar gente de Lisboa para vir fiscalizar, em nome dessa candidatura, este ato eleitoral”, disse Vasco Cordeiro.

Entre os representantes da candidatura de Seguro enviados para os Açores está António Galamba, do Secretariado Nacional, que acompanhou as eleições na mesa de voto instalada na sede do PS/Açores, em Ponta Delgada, e que durante o dia não quis prestar declarações aos jornalistas.

Para Vasco Cordeiro, o envio de representantes de Seguro para os Açores foi um “exemplo de arrogância, de prepotência” na “fiscalização” das primárias nas ilhas.

“Não é por isso acontecer no meu partido que isso é menos grave e menos demonstrativo daquilo que não pode nem deve acontecer em relação aos Açores e em relação aos açorianos”, afirmou.

Segundo dados revelados pelo PS/Açores, António Costa ganhou as primárias no arquipélago com 86,6% dos votos e António José Seguro recolheu 12,6% dos votos.

Nas nove ilhas açorianas votaram 4.511 militantes e simpatizantes socialistas, numa participação que se situou nos 54,5%.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.