Vasco Cordeiro diz que Plano Junker não pode substituir Política de Coesão nas regiões

Vasco Cordeiro diz que Plano Junker não pode substituir Política de Coesão nas regiões

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Jun de 2016, 16:53

O presidente do Governo dos Açores defendeu hoje que o Plano Junker não pode ser "um substituto da Política de Coesão" e considerou que as regiões europeias devem alertar sobre a importância de manter esta política após 2020.

 

“Cada vez mais, o Plano Junker é considerado pelas instituições como um bom substituto da Política Coesão. Temos de dizer de forma clara que não o é. Tem o seu papel e a sua importância, mas não é um substituto da Política de Coesão”, disse Vasco Cordeiro ao intervir na sessão de abertura da reunião da Comissão Política da Conferência das Regiões Periféricas Marítimas da Europa (CRPM), órgão de cooperação inter-regional a que preside.

Citado numa nota de imprensa do executivo açoriano, neste encontro, que decorreu na Finlândia, Vasco Cordeiro sustentou, por isso, que o futuro desta Política de Coesão, instrumento de promoção do desenvolvimento harmonioso entre as regiões, no próximo período de programação financeira “deve ser motivo de grande preocupação” para as regiões da União Europeia.

O presidente da CRPM garantiu que se está “a trabalhar em argumentos para convencer as instituições comunitárias a modernizar a Política de Coesão, principalmente ao nível da redução da burocracia e para garantir que todas as regiões ficarão abrangidas, no pós 2020, pela Política de Coesão, que se deve manter como o plano de investimento da União Europeia” para estes territórios.

Vasco Cordeiro informou ainda que a CRPM deverá apresentar um documento com as suas linhas orientadoras sobre o futuro da Política de Coesão na próxima assembleia-geral desta organização, que se vai realizar, nos Açores, este ano.

Desta forma, as regiões “farão ouvir a sua voz” sobre esta matéria antes da publicação das primeiras propostas da Comissão Europeia para a política pós-2020, o que deve acontecer no verão do próximo ano, afirmou o presidente do Governo Regional.

“Temos trabalho a fazer a nível nacional, também sensibilizando os nossos governos nacionais para que possam defender e promover esta Política ao nível europeu”, referiu ainda Vasco Cordeiro.

O chefe do Governo Regional dos Açores foi eleito em setembro de 2014 presidente da CRPM, organização de cooperação inter-regional que integra cerca de 150 regiões de 28 estados europeus, agregando cerca de 200 milhões de cidadãos.

Esta organização tem por missão a defesa dos interesses dos seus membros junto de instituições nacionais e europeias, através da promoção da coesão económica, social e territorial e do poder regional na Europa, bem como do reforço da dimensão periférica e marítima da Europa.

Nesse sentido, a CRPM tem realizado um trabalho de desenvolvimento de políticas e influência junto das instituições comunitárias, com particular incidência para as Políticas de Coesão, Política Marítima Integrada, Política de Transportes e Estratégias Macrorregionais.

 

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.