Utentes dos CTT na Calheta lamentam perda de "serviço essencial" nos Açores

Utentes dos CTT na Calheta lamentam perda de "serviço essencial" nos Açores

 

Lusa / AO online   Regional   3 de Fev de 2018, 11:14

Na loja dos CTT que vai encerrar nos Açores, os utentes continuam a dirigir-se ao espaço em grande número ora para troca de reformas ou para entrega de correspondência, lamentando a perda de um "serviço essencial".


Residente na freguesia de São Pedro, concelho de Ponta Delgada, onde se localiza a loja dos CTT, António Rodrigues já perdeu a conta às vezes que se deslocou aos correios da Calheta para "trocar a reforma".

"O fecho não tem justificação. Vão fechar porque querem", afirmou o reformado à agência Lusa, no exterior do espaço. Visivelmente triste com o encerramento para breve da loja da Calheta, o açoriano acrescenta que o espaço era como "uma família", referindo-se ao facto de estar habituado há décadas às funcionárias.

Nem o recente anúncio de instalação de um posto na junta de freguesia local, fruto de um acordo com a direção dos CTT na região, é encarado com agrado por António Rodrigues.

"Desconheço por agora os serviços que vão ser disponibilizados na junta de freguesia", sustentou.

O posto, segundo anunciou a junta recentemente, vai continuar a disponibilizar todos os serviços, exceto os reembolsos de passagens aéreas durante os primeiros tempos.

Paredes meias com a loja dos CTT da Calheta, o proprietário de uma florista já se tinha habituado à correria da clientela e era também cliente habitual da loja.

Mas, para Juvenal Martins, a mudança para a junta de freguesia "não é a solução ideal".

"É péssimo encerrar isto", sustentou Juvenal Martins, que tomou nas últimas semanas a iniciativa de promover um abaixo assinado contra o encerramento dos correios da Calheta.

À porta do seu estabelecimento comercial, Juvenal olha com uma certa tristeza para um funcionário dos CTT a descarregar encomendas para o posto, ainda em funcionamento.

"Não tem lógica encerrar isto", refere ainda, frisando que tem partilhado na rede social 'Facebook' a sua indignação perante o anunciado encerramento da loja dos CTT na Calheta.

Em passo apressado, Carlos Pavão acaba de deixar uma encomenda no posto da Calheta, uma opção que toma habitualmente para "fugir às grandes filas do posto do centro da cidade de Ponta Delgada".

"Os correios da Calheta sempre deram jeito. É um desperdício encerrar", sustentou, uma opinião partilhada por Maria Albertina.

Maria Albertina não é cliente habitual do posto, mas conhece perfeitamente muitos utentes que "agora deixam de ter perto de si um serviço essencial".

Também Carlos Meneses, residente na freguesia, considerou que o fecho dos correios da Calheta vai ser "um grande transtorno".

"As vezes venho a estes correios e vai fazer muita falta esta loja", salientou, questionando para quando será a data certa de encerramento.

Ainda assim, alguns transeuntes admitiram que chegaram até a pensar que os correios da Calheta já tinham encerrado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.