Uma pessoa em coma e outras 5 em estado grave após ensaio clínico para a BIAL

Uma pessoa em coma e outras 5 em estado grave após ensaio clínico para a BIAL

 

Lusa/AO online   Economia   15 de Jan de 2016, 15:33

Uma pessoa encontra-se em coma e cinco outras em estado grave em Rennes, oeste de França, após terem participado num ensaio de medicamentos analgésicos conduzida por um laboratório privado para a farmacêutica portuguesa BIAL, segundo a AFP.

O acidente ocorreu na quinta-feira no quadro de um ensaio clínico de fase 1, tendo os voluntários ingerido o medicamento por via oral, segundo informou o Ministério da Saúde francês.

Não foi adiantado o número total de voluntários envolvidos nos ensaios clínicos.

O produto testado é uma molécula com efeitos analgésicos contendo uma ´cannabinóide', declarou à agência France Press (AFP) uma fonte próxima do laboratório.

A substância química presente em estado natural resulta da cannabis, sendo produzida sinteticamente.

Os ensaios terapêuticos foram dirigidos pela Biotrial, um centro de investigação médica autorizado pelo Ministério da Saúde, por conta do grupo farmacêutico português BIAL, indicou a fonte.

Os portões de acesso aos laboratrórios da Biotrial permanecem hoje encerrados, constatou um jornalista da AFP no local.

Criada em 1989, a Biotrial realiza testes clínicos para diversos laboratórios farmacêuticos e dá emprego a 300 pessoas, 200 delas em Rennes.

Entranto, a Bial já indicou que vai emitir um comunicado sobre o assunto.

A empresa farmacêutica portuguesa foi fundada em 1924 e está presente em diversas áreas terapêuticas como sistema nervoso, sistema cardiovascular e problemas respiratórios, bem como dos antibióticos e das alergias.

Entretanto, a ministra da Saúde francesa, Marisol Touraine, prometeu averiguar o "acidente dramático" e "apurar todas as responsabilidades", devendo hoje dar uma conferência de imprensa em Rennes juntamente com um responsável da Biotrial.

A ministra ordenou uma inspeção administrativa à "organização, meios e condições de intervenção" do laboratório na realização do "ensaio clínico" em causa.

Os ensaios clínicos em França necessitam de autorização das autoridades sanitárias e os testes em voluntários saudáveis visam avaliar a tolerância e a inocuidade do medicameento e a sua eficácia.

O novo medicamento devia receber um relatório comparativo com os restantes produtos farmacêuticos do género já comercializados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.