Trabalhadores portuários nos Açores em greve de 28 de maio a 8 de junho

Trabalhadores portuários nos Açores em greve de 28 de maio a 8 de junho

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Mai de 2018, 15:01

Os funcionários dos portos do Triângulo e do Grupo Ocidental, nos Açores, vão fazer greve, a determinadas horas do dia, entre 28 de maio e 8 de junho, indicou esta quinta-feira o sindicato do setor.

"Os trabalhadores e o seu sindicato estão convictos de que tudo fizeram para privilegiar o diálogo e a concertação e evitar formas de luta que inevitavelmente acarretam prejuízos para ambas as partes", salientou João Decq Mota, dirigente Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Açores (STFPSSRA), em conferência de imprensa, na cidade da Horta.

Segundo explicou, o pré-aviso de greve que foi hoje entregue resulta do "silêncio" e da "passividade" da empresa pública Portos dos Açores SA, que mostrou "indisponibilidade" para reunir com o STFPSSRA, para esclarecer alegados "incumprimentos" relativamente a um "protocolo de entendimento" assinado em julho de 2012, entre ambas as partes.

"Não só não tem cumprido o estabelecido no referido protocolo, como também não tem aplicado corretamente as leis vigentes", insistiu João Decq Mota, esclarecendo que esses "incumprimentos" estão relacionados com a aplicação da isenção de horário, com o pagamento de subsídio de alimentação, com o registo de horas e folgas e com o prolongamento dos fins-de-semana, entre outros.

Aquele dirigente sindical disse ainda ter solicitado, desde 09 de março deste ano, em duas ocasiões diferentes, por carta e por email, reuniões com o presidente da Portos dos Açores, mas lamenta que, "até ao momento", não tenha merecido "nenhuma resposta" por parte da administração daquela empresa pública.

O pré-aviso de greve abrange o período entre as 17h e as 24 horas, nos dias 28, 29 e 30 de maio, e entre as 17h e as 08h do dia seguinte, nos dias 04, 05, 06, 07 e 08 de junho, mas apenas para os trabalhadores que desempenham funções nos portos do Faial, Pico e São Jorge (Triângulo) e Flores e Corvo (Grupo Ocidental).

"Nestes períodos, e caso a greve possa provocar danos irreparáveis, serão assegurados os seguintes serviços mínimos: descarga de medicamentos, descarga de animais vivos, descarga de géneros alimentares deterioráveis e descarga de cadáveres", adiantou João Decq Mota.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.