Trabalhadores de Espetáculos contra "brutais cortes" na cultura

Trabalhadores de Espetáculos contra "brutais cortes" na cultura

 

Lusa/AO Online   Economia   21 de Nov de 2014, 07:35

O Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos (STE) entrega esta sexta-feira, na Assembleia da República, em Lisboa, um documento contra os "brutais cortes" na área da Cultura e contra o Orçamento do Estado para 2015.

 

O documento, intitulado "OE2015 - A cultura vota contra", é subscrito por mais de 150 profissionais do setor, entre encenadores, atores, músicos, bailarinos e técnicos, e já foi enviado ao secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

"Em cinco anos, a cultura perdeu 75 por cento do seu orçamento e é reduzida a 0,1 por cento do Orçamento do Estado", lê-se no protesto.

O sindicato e os subscritores do documento exigem, pelo menos, "a concretização de um por cento do Orçamento do Estado para a cultura" e elencam várias medidas, nomeadamente a reestruturação dos concursos da Direção-Geral das Artes e "um plano de investimento e apoio efetivos" na área do cinema.

A entrega do documento na AR será antecedida de uma conferência de imprensa pelo sindicato, às 11:30.

Entre os subscritores do documento estão o encenador Jorge Silva Melo, a atriz e encenadora Fernanda Lapa, o ator e marionetista Igor Gandra, o produtor Nuno Marcolino, a cenógrafa Filipa Malva, o letrista João Monge, o músico Moz Carrapa, o escritor Amadeu Baptista e a bailarina Sofia Rosado.

A área da cultura tem inscrita, para 2015, uma dotação orçamental de 219,2 milhões de euros, na proposta de Orçamento do Estado apresentada em outubro, no Parlamento.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.