Tornar hotéis mais atrativos para os idosos é base para doutoramento de arquitecto


 

Lusa / AO online   Economia   20 de Nov de 2010, 11:52

Tornar os hotéis algarvios mais atrativos aos olhos dos turistas seniores, conquistando um público que viaja sobretudo em época baixa, é a base para a tese de doutoramento que um arquitecto está a desenvolver no Instituto Superior Técnico.

No Algarve existem cerca de 450 hotéis, 156 dos quais de categoria superior, mas este nicho de mercado, que podia ajudar a combater a sazonalidade, não está a ser aproveitado em pleno na região, disse à Lusa o arquiteto Wilson Zacarias.

Nascido na Venezuela e em Portugal há nove anos, este filho de emigrantes portugueses compara o Algarve ao estado da Florida, nos Estados Unidos, local escolhido por grande parte dos idosos para passar férias ou mesmo viver.

O clima, a segurança e uma boa assistência médica são alguns dos fatores mais privilegiados pelo público sénior, que é exigente, normalmente endinheirado e viaja sobretudo na primavera ou no outono.

Contudo, de acordo com o autor do estudo “Hotéis atrativos a hóspedes seniores – a experiência da região do Algarve”, a arquitetura e equipamentos dos hotéis algarvios não são, na sua maioria, adaptadas às necessidades dos idosos.

Pormenores de “design inclusivo” como a existência de cadeiras com apoios para os braços ou de tomadas elevadas em vez das tradicionais situadas junto aos rodapés são descurados pela maioria dos hotéis, diz o arquiteto.

Aquele estudo, elaborado a partir de visitas a seis hotéis de luxo da região, servirá de base para uma tese de doutoramento que Wilson está a desenvolver e que incluirá inquéritos a hóspedes idosos.

“Trata-se de tentar reunir informação que sirva de recomendação para os arquitetos e promotores de projetos hoteleiros daquilo que é necessário, na conceção ou renovação das unidades, para atrair os idosos”, resume.

De acordo com Wilson Zacarias, apesar de ser um nicho de mercado ainda pouco aproveitado, o turismo sénior será dentre de alguns anos um dos principais mercados da hotelaria, uma vez que a esperança de vida é cada vez maior.

O arquiteto considera que além de poder contribuir para esbater a sazonalidade característica do Algarve, a aposta no público sénior “abre a possibilidade de alguns idosos se mudarem definitivamente para a região”.

O arquiteto já esteve reunido com responsáveis do Turismo do Algarve que irão apoiar o estudo que está a desenvolver ao estabelecer a ponte entre o autor e as unidades hoteleiras da região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.