Taxa de conclusão subiu em todos os níveis de ensino nos Açores

Taxa de conclusão subiu em todos os níveis de ensino nos Açores

 

LUSA/AO online   Regional   6 de Nov de 2017, 18:26

A taxa de conclusão subiu em todos os níveis de ensino no ano letivo 2016/2017 nos Açores, anunciou hoje o secretário regional da Educação e Cultura, classificando os dados como "encorajadores"

“No ensino básico, a taxa de conclusão subiu de 82 para 84% e, incluindo a formação vocacional e profissionalizante, com taxas intermédias de transição que acresceram no 1.º ciclo de 92 para 93%, no 2.º ciclo de 90 para 93% e no 3.º ciclo de 85 para 87%”, afirmou à agência Lusa Avelino Meneses.

O governante falava à margem da visita à escola básica e secundária, em Santa Cruz das Flores, ilha onde hoje o executivo regional iniciou a visita estatutária de dois dias.

Segundo Avelino Meneses, no ensino secundário “a taxa de conclusão subiu de 70 para 75%", ressalvando que estes são ainda valores provisórios, mas fiáveis.

“Todas estas taxas são taxas que superam as metas que estavam estabelecidas para 2020/2021” no Prosucesso, a estratégia regional de promoção do sucesso escolar destinada a combater as mais elevadas taxas nacionais de retenção e de abandono escolares.

O secretário regional adiantou que após “dois anos de implementação” do Prosucesso, embora se esteja “muito no começo”, os Açores têm “registado alguns resultados” que considera “encorajadores”.

“A quatro anos de distância, todas estas taxas superam as metas que estavam estabelecidas para 2020/2021”, frisou.

Avelino Meneses adiantou que na frequência do ensino pré-escolar também “houve um avanço significativo” no último ano letivo, “com uma taxa de pré-escolarização a crescer de 70 para 79% aos 3 anos”, sendo de 89% aos 4 anos e de 100% aos 5 anos.

Observando que o Prosucesso foi pensado para um prazo de dez anos, o secretário regional esclareceu que após uma avaliação intercalar no ano letivo 2020/2021, a última ocorrerá em 2025/26.

Questionado se acredita que os Açores caminham para sair da cauda do insucesso escolar, Avelino Meneses respondeu: “Das duas uma, ou nós estabelecemos metas muito moderadas ou efetivamente vem-se verificando algum progresso. Eu creio que se vem verificando algum progresso”.

O responsável admitiu, contudo, que “também é cedo para anunciar a saída da cauda”.

À pergunta sobre o que mudou para se alcançarem estes resultados, Avelino Meneses considerou que “mudou um pouco de tudo”.

“O Prosucesso tem fundamentalmente três eixos”, apontou, explicando que estes dizem respeito ao trabalho com os alunos, à formação dos professores e ao envolvimento da comunidade, pelo que “é um somatório de projetos”.

Avelino Meneses realçou, contudo, três projetos que “têm resultado muito”, um dos quais iniciado o ano passado no concelho da Lagoa e agora alargado a Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, o “Escola-Família-Comunidade”.

O responsável apontou ainda a iniciativa “Professores especializados na deteção de dificuldades de aprendizagem”, que abrange toda a região, que iniciou no 1.º ciclo e transitou agora para o 2.º ciclo, insistindo no ensino da Matemática.

Outro projeto é o “Apoio +, retenção zero”, este em duas escolas do arquipélago, para exemplificar outros que “vêm contribuindo para esta melhoria paulatina dos resultados”.

“Não estamos aqui a falar em alterações totais de um momento para o outro – isso não acontece na Educação”, referiu, acrescentando estar “medianamente entusiasmado”, mas com uma preocupação, a consolidação dos resultados alcançados.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.